MENU

| BR

Campus

Programação

Marketing

UX

Dados

Negócios

Paises


Curso de Transformação Digital

Adquira o mindset digital para se manter competitivo e liderar projetos de inovação. Aprenda com professores especialistas de mercado que trazem o que há de mais atual para a sala de aula. Faça networking durante e após o curso

Atualize seus conceitos

Cultura Digital e Discovery, Transformação Digital, Metodologias Ágeis, Experiência do Usuário (UX), Estratégias de Marketing Digital, Data Analytics, Data Science, LGPD


Imagen de Imersão em Transformação Digital

Por que Imersão em Transformação Digital?

O que você vai aprender neste curso:
  1. - Cultura Digital na prática
  2. - O papel da liderança
  3. - Pilares da Transformação Digital
  4. - Métodos de Inovação
  5. - Design Thinking
  6. - Lean Canvas
E também:
  1. - User Experience (UX)
  2. - Métodos de Pesquisa
  3. - User Interface (UI)
  4. - Prototipagem
  5. - Metodologias Ágeis - squads
  6. - Scrum x Kanban x Agile x Lean
E mais:
  1. - Mkt Tradicional x Digital
  2. - Social Media Ads
  3. - Métricas & Data Analytics
  4. - Inteligência Artificial
  5. - Machine Learning
  6. - LGPD

E na minha carreira?

Qual o futuro?

Toda liderança tem um papel fundamental na Transformação Digital das organizações. Para uma tomada de decisão assertiva é preciso que os líderes mantenham-se conectados com as mudanças na velocidade em que elas ocorrem.

Aprenda com professores especialistas do mercado

Nosso time de especialistas

Ver Professores

Quem já fez

Eventos

18 Nov

Palestra Management 3.0

Esgotado

18 Nov

Palestra Management 3.0

Esgotado
Ver Todos Os Eventos

Próximos cursos, horários e sedes

Turno: Jornada Completa

09:00 a 18:00

Vila Olímpia
Dias da semana
segunda, terça, quarta, quinta, sexta, sábado

Imersão em 1 semana

Início
3 Nov
Fim
8 Nov
Investimento
Até 12 parcelas fixas de:
R$ 750

Blog
Digital House

O trabalho flexível veio para ficar img
carreira

O trabalho flexível veio para ficar

Você já ouviu falar em trabalho flexível? É uma nova forma de se relacionar com trabalho, que não gira em torno de bater ponto, mas sim de produtividade. E hoje, para ser uma empresa atraente e um profissional desejado, é preciso entender por que o trabalho flexível é tão importante. Profissionais não só acreditam que são mais produtivos em um trabalho flexível, como consideram esse um fator de desempate na hora de escolher uma nova empresa. As afirmações são resultado de uma pesquisa da Internacional Workplace Group (IWG) realizada no começo de 2019.A pesquisa, feita com 15 mil profissionais entre diretores, funcionários, consultores e empreendedores de 80 países, mostra que 83% desse grupo considera a flexibilidade no trabalho um fator decisivo para escolher uma proposta de emprego. Outros 85% notaram um aumento na própria produtividade quando aderiram ao novo modelo de trabalho.E não é difícil imaginar o motivo por trás desses resultados. A relação com trabalho mudou e profissionais buscam cada vez mais manter um equilíbrio saudável entre vida pessoal e trabalho. Qualidade de vida, de acordo com dados da IWG, é a principal motivação para buscar um trabalho flexível.Funcionários querem tempo para buscar ou levar os filhos na escola, almoçar em casa, ir ao banco ou a consultas médicas, gastar menos tempo e dinheiro com descolamento. Tudo isso sem causar desgaste e estresse com superiores e outros colegas de trabalho.Se você é empresário, não deixe seu negócio para trás e implemente formas de trabalho flexível, como o trabalho remoto, no dia a dia de seus funcionários.Como adotar o trabalho flexível na sua empresaO trabalho flexível pode ser adotado de diversas maneiras dentro de uma empresa. É possível oferecer a opção de home office alguns (não todos) dias da semana; o funcionário pode escolher o melhor horário para chegar; a empresa pode estabelecer uma quantidade mínima de horas a serem cumpridas presencialmente e deixar o funcionário auto gerenciar suas horas, entre outras possibilidades.Independentemente do modelo de trabalho flexível adotado, é preciso uma drástica mudança na cultura da empresa para ter sucesso. Em vez de focar em horas trabalhadas e em “ver seu funcionário trabalhando”, é preciso olhar para os resultados e as entregas. O que seu colaborador produz e a qualidade dessa produção devem ser mais importantes do que o horário em que ele bate o ponto. Benefícios para todosAo contrário do que alguns gestores podem acreditar (e pregar), adotar jornadas flexíveis diminui a quantidade de faltas e atrasos. Parece contraditório, mas o motivo é bem simples: os funcionários se sentem mais satisfeitos e, consequentemente, tornam-se mais engajados.Para a empresa, esse aumento de produtividade e engajamento gera resultados positivos no alcance de metas, desenvolvimento de novos projetos e, o mais importante, no saldo financeiro.Do outro lado, os funcionários se beneficiam com qualidade de vida, redução de estresse, equilíbrio entre vida profissional e pessoal. Se você é um profissional em busca do trabalho remoto dos seus sonhos, veja aqui algumas de nossas dicas.

Recrutamento digital: 6 tendências para sintonizar seu RH com a tecnologia img
carreira

Recrutamento digital: 6 tendências para sintonizar seu RH com a tecnologia

Sabemos que o setor de RH mudou muito: está mais ágil, estratégico e digital — tudo para acompanhar o ritmo do mercado.Da mesma forma, o recrutamento e a seleção também evoluíram do offline para o online, aproveitando todas as facilidades que a internet oferece.Então, que tal automatizar sua triagem de currículos, usar o poder dos dados para selecionar candidatos e preencher suas vagas 100% online?Tudo isso é possível com as tendências de recrutamento digital que você vai conhecer agora.Vamos às novidades?Siga a leitura.O que é recrutamento digitalO recrutamento digital é uma estratégia de RH que utiliza o poder dos dados e da conectividade para encontrar, atrair e selecionar candidatos de forma mais rápida, barata e precisa.Ou seja: é o processo seletivo tradicional turbinado pelas ferramentas do online, que facilitam o trabalho de conexão com os melhores talentos do mercado.Graças à tecnologia, o profissional de RH não precisa mais investir seu tempo em tarefas manuais e repetitivas, como eliminar currículos com base em parâmetros de formação dos candidatos.Com o recrutamento digital, a parte operacional do trabalho é reduzida ao máximo, e o RH amplia sua atuação estratégica.6 tendências do recrutamento digitalOs avanços tecnológicos ditam a evolução do recrutamento digital, que promete agilizar a rotina do RH e tornar o processo cada vez mais inteligente. Considerando que 77% dos brasileiros já procuraram emprego na internet, segundo dados do Ibope Conecta, de 2018, as tendências a seguir devem se aprofundar rapidamente. 1. Social RecruitingPara além dos tradicionais sites de vagas, há um universo de candidatos a ser explorado nas mídias sociais mais populares.Por isso, o social recruiting, ou recrutamento social, é uma das tendências mais importantes dos nossos tempos.Muito mais do que postar suas vagas nas redes sociais da empresa, você pode fazer buscas avançadas por candidatos no LinkedIn, nutrir relacionamentos no Facebook e engajar candidatos no Instagram. De acordo com uma pesquisa de 2018 da Talent Lyft, 94% dos recrutadores entrevistados planeja usar as mídias sociais no recrutamento, enquanto quase metade (49%) dos que já utilizam constataram uma melhora na qualidade dos candidatos. 2. Inbound RecruitingVocê já deve ter ouvido falar no marketing de recrutamento, que consiste em usar as técnicas de promoção e divulgação do marketing para recrutar candidatos.Quando evoluímos essa ideia para o marketing digital, chegamos ao inbound recruiting: a metodologia de marketing de atração aplicada ao R&S.Na prática, significa atrair talentos ao invés de correr atrás deles na web, criando conteúdos relevantes e criando proximidade com os candidatos.  3. Employer brandingNa mesma lógica de atratividade de talentos, temos o employer branding como tendência generalizada de recrutamento online.Considerando que 75% dos profissionais avaliam a reputação da empresa como empregadora antes de se candidatar a uma vaga, segundo um estudo de 2018 do LinkedIn, é melhor garantir sua reputação na internet.Afinal, os talentos vão buscar informações no seu site de carreiras, em redes sociais e em sites como o Glassdoor — e quanto melhor a impressão, maiores as chances de ter bons candidatos.  4. CRM (Candidate Relationship Management)Da mesma forma que a empresa gerencia seu relacionamento com os clientes, também deve manter contato com seus futuros talentos. Para isso, existem as ferramentas de CRM (Candidate Relationship Management), que permitem automatizar e-mails durante o processo seletivo e oferecer feedbacks imediatos aos seus candidatos.Assim, você garante o vínculo com os profissionais e facilita a comunicação no recrutamento e seleção. 5. Applicant Tracking System (ATS) com IAO Applicant Tracking System (ATS) é um software completo para gestão do recrutamento, que segue em alta no RH e vem ganhando novas funcionalidades. Hoje, a grande aposta é nos ATS com inteligência artificial, que permitem realizar a triagem de candidatos de forma automática e cruzar dados para combinar os perfis às vagas.Para isso, esses sistemas utilizam algoritmos poderosos para selecionar os melhores candidatos de acordo com os critérios da posição, agilizando o processo seletivo com o máximo de precisão. 5. Marketplace de talentosOutra tendência em destaque no recrutamento digital é o marketplace de talentos, que consiste em uma plataforma que conecta profissionais às empresas.Essas plataformas combinam tecnologias como inteligência artificial, Big Data e machine learning para pré-selecionar candidatos e encontrar combinações perfeitas entre profissionais e vagas. Dessa forma, é possível agilizar as contratações e concluir processos seletivos com muito mais rapidez e economia. 6. ChatbotsNa onda de automação do relacionamento com os candidatos, os chatbots (robôs de conversação) já estão sendo usados para manter a comunicação no processo seletivo.Esses sistemas movidos a inteligência artificial e programados para dar respostas prontas são muito úteis para:- Informar candidatos sobre o status do processo- Enviar mensagens de confirmação e feedback- Agendar entrevistas e testes- Realizar triagens iniciais com perguntas estratégicas.Já imaginou ter um chatbot como assistente virtual para acelerar seu processo seletivo? Fique por dentro das tendências do recrutamento digitalSe você quer ficar por dentro das tendências do recrutamento digital e revolucionar seu RH, já pode escolher quais tecnologias se adaptam à sua realidade.Felizmente, contamos com empresas inovadoras focadas em soluções digitais para o RH: as HR techs.Essas startups se dedicam a criar ferramentas e sistemas sob medida para agilizar seu recrutamento e seleção, desde a busca por candidatos até a contratação. Para conhecer melhor esse mercado e suas soluções, você pode baixar gratuitamente o e-book HR Tech: O que isso significa para você?, produzido pela Revelo. E se toda essa revolução tecnológica ainda não está tão clara para você — ou se você quer se aprofundar mais no assunto antes de arriscar um investimento —, vale a pena realizar o Curso de Gestão de RH Digital da Digital House.Nele, você vai aprender tudo sobre as ferramentas de recrutamento digital, além de estratégias de people analytics, marketing digital e employer branding. Pronto, você já tem todo o conhecimento e ferramentas de que precisa: agora é só acelerar seu RH rumo à cultura digital.Texto desenvolvido por: Mayara Toyama, do time de conteúdo da Revelo. A Revelo é uma HR Tech que utiliza Inteligência Artificial para inverter o esquema de recrutamento. Dentro da sua plataforma, não são os candidatos que buscam pelas empresas, mas as empresas que têm acesso aos talentos de carreiras como: design, marketing digital, BI, finanças, engenheiros de software e negócios.

Web Developer: o que faz, quanto ganha e como se tornar um img
carreira
tech

Web Developer: o que faz, quanto ganha e como se tornar um

São tantas novas profissões nesse mundo novo e em constante mudança. Tudo está sendo reinventado, inclusive o mercado de trabalho. Por conta disso, diariamente, é quase rotineiro encontrar oportunidades de carreira que ainda não sabemos muito bem o que elas significam.Para quem está de olho na atuação com TI, isso fica ainda mais evidente. São muitas nomenclaturas de profissões e, para um iniciante na área, pode ser difícil definir em qual área da tecnologia atuar. Uma delas é a do desenvolvedor web, ou web developer. Onde esse profissional atua e quais habilidades são necessárias? Vamos descobrir a partir de agora!O que faz um Web Developer?Basicamente, esse é um tipo de programador especializado em desenvolvimento de sistemas para a internet, sendo responsável por manter o seu site ou aplicativo funcionando. Para isso, ele faz o planejamento da estrutura, constrói e depois mantém a manutenção dos códigos, para que tudo rode perfeitamente, dentro do esperado.Não é um trabalho muito fácil, pois envolve entendimento das mais diferentes linguagens de programação, estando sempre atento aos aspectos de back-end como servidores e segurança de dados, assim como no front-end, ou seja, com a experiência do usuário. Há quem prefira atuar com um ou outro aspecto, mas também há o Desenvolvedor Fullstack, ou seja, aquele que atua de maneira híbrida, tanto no campo do front-end, com HTML, CSS e Javascript, assim como com as linguagens do back-end.De toda forma, é uma profissão desafiante, com muito potencial de aprendizado e crescimento profissional, além de impactar positivamente o ambiente em que vivemos, por trazer soluções tecnológicas que podem ser benéficas para a sociedade!Web Designer x Web DeveloperEssa talvez seja uma das principais dúvidas de quem tem interesse em atuar com desenvolvimento: qual a diferença entre o web designer e o web developer?Enquanto o Desenvolvedor Designer atua com a criação do conceito do site, decidindo questões como cores, tipografia, tipos de conteúdos e páginas, o desenvolvedor web usa os conceitos apontados pelo designer para construir os códigos e transformar tudo no site propriamente dito.Claro que, nos dias de hoje, é possível encontrar profissionais que contemplam as duas expertises, mas em teoria, o web designer não atua com a construção dos códigos, enquanto o web developer não precisa, necessariamente, ter habilidades de design, ou entender de teoria das cores e identidade visual, por exemplo.Quanto ganha um Web Developer?Não basta entender qual a atividade dessa carreira, também é preciso ficar de olho nos ganhos, certo? O salário vai depender da atuação profissional, já que os desenvolvedores podem ser encontrados trabalhando em pequenas, médias e até grandes corporações, além dos que decidem atuar de maneira autônoma, ou seja, como freelancers.Pesquisando pelos sites das principais empresas especializadas em carreira do país, é possível verificar que, em média, um desenvolvedor web em São Paulo ganha em torno de R$ 3.870 por mês, mas também há salários que podem chegar a R$ 9 mil mensais. Para os freelancers, vale lembrar que quanto mais experiência na área, maior a possibilidade de ir definindo seu próprio preço!Quero ser Web Developer: por onde começar?Não é nem preciso falar que uma profissão baseada em códigos e linguagens complexas exige muito estudo e dedicação, certo? Mas se você gostou do que leu e está buscando iniciar sua carreira como desenvolvedor web, saiba que esta é uma excelente escolha!Tudo começa, claro, com a busca por um curso para aprendizado e aperfeiçoamento das habilidades. A Digital House oferece três cursos na área: Desenvolvimento Full-Stack, Desenvolvimento Mobile Android e Desenvolvimento Mobile IOS. E se você não tem experiência nenhuma nessas áreas, tudo bem: a escola ajuda na sua formação, para que você aprenda a programar do zero e construa uma carreira de sucesso!Depois de aprender as bases, você provavelmente entenderá quais linguagens mais adequadas para o aperfeiçoamento, quais você teve mais facilidade, essas coisas. Sem nunca esquecer que, como é uma carreira digital, tudo muda muito rapidamente, então o aprendizado constante é fundamental para que seu conhecimento não fique obsoleto.Leia também: Tudo o que você precisa saber para ser um programador.Gostou das dicas? Prepare-se para começar sua carreira no mundo dos códigos e desenvolvimento de páginas e boa sorte na sua trajetória profissional!

Ver todos