MENU

| BR

Campus

Programação

Marketing

UX

Dados

Negócios

Paises


Transforme dados em insights

Saiba como montar e gerenciar um time que transforma grandes quantidades de dados em insights para tomadas de decisão

Networking

Aprenda com profissionais que são especialistas do mercado, compartilhe conhecimento e aumente seu network


Imagen de Gestão de Dados para Negócios

Por que Gestão de Dados para Negócios?

O que você vai aprender neste curso:
  1. - Dados são o novo petróleo?
  2. - Fundamentos de Estatística
  3. - Business Intelligence
  4. - Analytics
  5. - Data Wrangling
  6. - Coleta, limpeza, armazenamento
E também:
  1. - SQL
  2. - Modelo preditivo
  3. - Decisões de negócio data-driven
  4. - Visualização de dados
  5. - Cases reais

E na minha carreira?

Qual o futuro?

Dados são o novo petróleo. Nos dias de hoje, a gestão/análise de dados é um diferencial estratégico e evolutivo para as empresas na medida em que apoia, de maneira consistente, os processos de tomada de decisões nos negócios de maneira clara e eficiente.

Aprenda com professores especialistas do mercado

Nosso time de especialistas

Ver Professores

Quem já fez

Blog
Digital House

Big Data: os 3 profissionais mais  procurados pelas organizações img
dados

Big Data: os 3 profissionais mais procurados pelas organizações

Concordamos que os dados são fundamentais para uma melhor tomada de decisão de negócio e isso não deve ser mais surpresa pra ninguém, correto? Com informações importantes à disposição, as empresas podem adiantar-se a possíveis cenários e se conectar com o mercado de uma forma mais inteligente. Por este motivo, são contratados perfis profissionais com conhecimentos em Big Data, que conheçam todo o processo do ciclo de vida dos dados: desde a sua coleta até a sua visualização.  Nesse sentido, os especialistas mais requisitados dentro deste campo são:Analista de dadosÉ a pessoa capaz de processar e realizar uma análise estatística de dados entre as diversas fontes de informação relacionadas com o negócio, algo conhecido como business intelligence.Desta maneira, pode basear-se nos dados para tirar conclusões e resolver os problemas que surgirem em uma organização. Para isso, sabe utilizar diferentes ferramentas de data analytics como Power BI, Google Data Studio e Tableu, entre outras. Tem interesse em se aprofundar no assunto? Confira nosso curso de Data Analytics.Data ScientistPara ser cientista de dados é necessário dominar Python, que é uma linguagem de programação que vem crescendo cada vez mais. Basicamente, os Data Scientists possuem conhecimentos em matemática e estatística que lhes permitem explorar e examinar de forma mais profunda os dados que provêm de fontes  variadas e desconectadas e desenvolver métodos analíticos inovadores com algoritmos matemáticos complexos.Além disso, transformam  as conclusões obtidas em informação útil e estruturada que ajuda os diretivos da organização a tomar decisões acertadas. Confira os 5 primeiros passos para quem quer se tornar um cientista de dados.Diretor ou diretora de dados (Chief Data Officer) Apesar de não ser um cargo muito comum nas empresas, o Chief Data Office é o executivo que atua como o maior responsável pelos dados, cuidando inclusive da sua segurança. Entre suas funções está definir as políticas de privacidade, a gestão e o armazenamento dos dados.Também decide quais dados se utilizam, de que maneira e com que objetivo, valida as tecnologias, garante que sejam conhecidas as transformações que sofrem e que usuários ou usuárias os utilizam. Finalmente, ele é consciente da aplicação de negócio que tem que fazer uso desses dados.

Empreendedores: 5 razões para aprender Python img
dados

Empreendedores: 5 razões para aprender Python

Escolher a linguagem de programação adequada ao iniciar um empreendimento não é uma decisão fácil de tomar considerando a variedade de opções disponíveis. Nesta ampla gama, Python pode ser considerada uma linguagem chave nas atividades relacionadas com o Data Science, porque oferece muitíssimas vantagens como:Popularidade: Por um lado, existe há muitos anos, o que quer dizer que não estamos falando de uma linguagem que está de moda. Mesmo assim, continua somando tantos adeptos em todo o mundo que muitos a estão chamando de “a melhor opção para os negócios”.É fácil: Uma das principais particularidades é que é intuitiva e simples em comparação com outras linguagens de programação.  É genial para construir Mínimo Produto Viável (MVPs): O desenvolvimento rápido é um dos princípios básicos de Python. Este assunto é crucial quando se quer criar protótipos rápidos porém funcionais para atrair investidores ou provar ideias.É de código aberto: Surgido nos anos 80, estamos diante de uma das propostas mais versáteis e que, ao ser de código aberto, se repõe constantemente com novas bibliotecas e soluções.Não necessita de uma grande equipe de trabalho: Em comparação com outras linguagens que requerem escrever muitíssimas linhas de código, com Python este assunto se simplifica, com o qual é possível avançar com poucos profissionais, algo fundamental quando estamos falando de uma start up.

O que vai mudar com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPDP)? img
dados

O que vai mudar com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPDP)?

Em 2018, o então presidente Michel Temer, sancionou a nova Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, que define regras, direito e deveres relacionados a dados pessoais e como empresas manipulam, tratam e utilizam esses dados. Essa lei é uma tendência mundial, que surgiu em resposta ao vazamento de dados que acontecem em 2017 com o Facebook. Saber que as informações pessoais de tantas pessoas estavam à disposição na internet fez com que todos dessem um passo para trás e refletissem sobre a importância de seus próprios dados – e sobre a responsabilidade de empresas em garantir sua segurança. A nova lei brasileira só entra em vigor em agosto de 2020. Ao aprovar a legislação, o Congresso entendeu que muitas empresas precisariam de tempo para se adaptar às novas regras – e ainda bem! A LGPDP pode causar um grande impacto, principalmente em empresas menores. Para entender melhor o que muda com a Lei Geral de Proteção a Dados Pessoais, você precisa entender como a lei enxerga dados, usuários e o papel das empresas nessa história toda. A partir de 2020, qualquer dado que seja coletado, pode ser do mais simples como nome e endereço de e-mail, entram nas regras da nova lei. E ela se aplica a qualquer tipo de empresa, não só aquelas que, de fato, fazem grande uso de dados, como empresas de Marketing Digital ou bancos, por exemplo. Isso significa que escolas, dentistas, empresas de transporte, qualquer negócio que lide com informações de terceiros em um banco de dados estará submetido à LGPDP. Quem não cumprir as regras terá que pagar uma multa equivalente a 2% do faturamento da empresa, com um limite de R$ 50 milhões, e sofrerá bloqueio imediato dos dados relacionados à infração. Como você, usuário, se beneficia com a Lei? Uma das maiores mudanças está relacionado aos chamados “dados sensíveis”, uma nova categoria criada pela LGPDP que coloca origem racial ou étnica, convicções religiosas, opiniões políticas, saúde ou vida sexual em um maior nível de proteção, a fim de garantir que não haverá discriminação por causa desses dados. Os usuários também poderão perguntar a qualquer empresa se ela possui dados a seu respeito e solicitar quais dados, a quem foram repassados esses dados e com qual finalidade. Ele poderá cobrar a correção de registros incorretos e, em determinador casos, pode se opor a determinado tratamento de seus dados. Como preparar sua empresa para a Lei? Como empresa, você deverá sempre informar, ao coletar um dado, a sua finalidade para o usuário. Se ele aceitar, você deve garantir que o dado será tratado de acordo com a finalidade descrita e acordada. É dever da empresa garantir a segurança dessas informações e informar o usuário se houver qualquer quebra de sigilo ou incidente. Para conseguir garantir tudo o que a lei prevê, será necessário fazer um investimento em estrutura, equipe e treinamento dentro da sua empresa. A segurança do seu sistema precisará ser revisitada, um simples antivírus não é mais garantia de que os dados dos seus clientes estão seguros. De acordo com a lei, é obrigatório que o tratamento de dados seja conduzido por uma equipe de especialistas de TI, que deverá ser contratada caso sua empresa não possua uma. Novas políticas internas e planos de proteção de dados deverão ser desenhados, assim como estratégias de prevenção e gerenciamento de possíveis crises (como vazamento de dados). Por fim, a empresa inteira precisa estar alinhada às novas regras, com um treinamento ou distribuição de comunicados, informando sobre a nova responsabilidade acerca das informações pessoais de seus clientes. Agora que você já tem maiores informações, pode se preparar para quando a lei entrar em vigor e não ser pego desprevenido! Ainda há alguns meses para se organizar, procurar uma empresa de TI que possa te ajudar ou formar seu próprio time, e desenhar sua estratégia para tratar, coletar e utilizar dados com mais responsabilidade e segurança.

Ver todos