Entenda os tipos de linguagens de programação para aprender a programar

Entenda os tipos de linguagens de programação para aprender a programar

Por vezes até os maiores entusiastas acabam se perdendo no processo de aprendizagem, o que é frustrante, mas nada como um roadmap organizado e bem definido para focar no que é importante. Na programação, este problema se agrava ainda mais, uma vez que os tipos de linguagens de programação só aumentam com o passar do tempo, e as tecnologias, ora atuais, em pouco tempo se tornam obsoletas. Por fim, uma linguagem pode ter muitas bibliotecas e frameworks, dificultando assim a compreensão das dimensões e abrangência da mesma.

Pensando nisso verificamos algumas das dúvidas mais populares no Google sobre programação para ajudar quem pensa em ingressar no mercado de tecnologia, mas não sabe por onde começar.

Quais os tipos de linguagem de programação?

Esta é uma pergunta de escopo muito aberto para ser respondida de prontidão, portanto devo primeiramente explicar que podemos categorizar linguagens de programação de formas diferentes a depender do intuito do questionamento. Neste artigo irei dividir os tipos de linguagens de programação por paradigma e nível de abstração.

Paradigma na programação

Um paradigma de programação é o aspecto da linguagem que dita como um programa será escrito, estruturado e executado. Existem vários paradigmas no mercado, entretanto os mais utilizados na atualidade são: orientação a objetos, estruturado e funcional. Esses paradigmas podem possuir linguagem imperativa, declarativa ou ambas.

Vale lembrar que está cada vez maior a tendência de linguagens chamadas multi-paradigmas, as quais permitem ao desenvolvedor escolher o que melhor convém ao projeto.

Nível de abstração na programação

Outra coisa que pode vir a dividir as linguagens de programação é o nível que estas se distanciam da linguagem compreendida pelo computador, também chamado de nível de abstração.

Linguagens que requerem mais conhecimento da arquitetura de um computador e do funcionamento da relação entre sistemas operacionais e hardware são chamadas de linguagens de baixo nível. Já as linguagens que se aproximam mais da lógica básica e da língua humana são chamadas de linguagens de alto nível.

É importante ressaltar que linguagens de baixo nível nos dias de hoje figuram um mercado bastante restrito voltado para soluções que precisam de maior otimização a nível de hardware. Sendo assim, se você não pretende trabalhar desenvolvendo motores gráficos para desenvolvimento de jogos, sistemas operacionais ou processadores de imagem e vídeos como Adobe Photoshop/Premiere Pro e similares, não deve se preocupar com este nível de abstração.

Top 3 linguagens de programação para iniciantes

Agora vamos falar sobre as linguagens de programação do momento para quem está começando! Porém, é bacana lembrar que esta é minha visão como programador e professor. Vamos nessa?

Linguagem Java

O Java hoje é a melhor linguagem para você que quer aprender programação orientada a objetos. Além de prezar pelo purismo neste paradigma, a linguagem oferece uma gama muito variada de aplicações de mercado (web, mobile, desktop, etc) e ótimos salários. Por fim, não tem erro fazer um curso de programação que ensine Java.

Linguagem Python

De sintaxe simples e oferecendo grande gama de aplicações, além de flexibilidade no estilo de programação, o Python é uma linguagem bastante visada no mercado, principalmente no ramo de inteligência artificial e data science. A remuneração em vagas para profissionais que dominam a linguagem também não deixa a desejar.

Linguagem JavaScript

Partindo do princípio que o desenvolvimento web tem crescido em um ritmo bastante acelerado e que existe uma grande tendência para o fortalecimento deste nos próximos anos, o JavaScript é uma linguagem que se torna vital, uma vez que nos dias atuais é impossível criar qualquer aplicação web sem esta ferramenta. Além disso, por sua sintaxe agradável cuja curva de aprendizado é bastante suave, já se tornou a queridinha de uma grande parcela da comunidade Dev.

Entre outras vantagens do Javascript, uma que se sobressai com facilidade é a possibilidade de construir APIs de backend (utilizando o Node) e lógicas de manipulação em frontend com a mesma ferramenta. Podemos dizer que, apesar de não figurar entre os tipos de linguagens de programação que mais pagam, o JavaScript tem se tornado cada vez mais onipresente no cenário tecnológico, não só na web, como também no desenvolvimento mobile e desktop.

Por fim, há uma grande oferta de vagas para quem está querendo aprender programação e entrar em um mercado aquecido, com alta demanda e poucos profissionais qualificados.

Leia mais no blog DH:

+ Minha primeira linguagem de programação: como escolher?

+ Primeiros passos no Git: o que eu preciso saber?

+ Pague só quando possuir renda: conheça o modelo ISA da DH