Teste de usabilidade: o que é, para o que serve e quais os principais modelos?

Teste de usabilidade: o que é, para o que serve e quais os principais modelos?

Em algum momento, principalmente nos últimos anos, você já deve ter ouvido o termo Experiência do Usuário ou, simplesmente, UX. O conceito tem ligação com tudo o que nos relacionamos, sejam aplicativos de celular, lojas virtuais, softwares e outros diversos produtos e serviços. No entanto, você sabia que por trás de toda essa experiência, existe a condução de um teste de usabilidade?

Se você possui um negócio digital e quer entender mais sobre o assunto, está no lugar certo. Continue acompanhando este artigo.

O que é teste de usabilidade?

O teste de usabilidade é um método utilizado para entender o comportamento dos usuários ao interagir com a interface de algum produto ou serviço, seja um site, carrinho de compras de um e-commerce, um software, aplicativo para celular, entre outros exemplos.

A partir da análise e da compreensão detalhada da necessidade do público-alvo, a empresa consegue aplicar melhorias e otimizações para trazer mais resultados e retornos positivos das experiências.

Na prática, imagine que uma empresa oferece um cupom de 50% de desconto nas compras de roupas acima de R$150,00 em seu site. Em um teste de usabilidade, a tarefa dos 10 usuários selecionados é escolher os itens na loja virtual, aplicar o cupom e finalizar a compra.

Se apenas 1 deles conseguir concluir a compra sozinho, navegando pelas páginas de forma fluida, é provável que haja um problema na usabilidade. Sendo assim, é essencial testar os produtos, a fim de identificar erros, acertos e pontos a serem melhorados no processo.

Quando devo aplicar um teste de usabilidade?

Na maioria dos casos, os profissionais de UX aplicam um teste de usabilidade em produtos que estão quase prontos, em versões que já é possível entender a funcionalidade e usabilidade na prática. Nessas situações, é muito importante que os insights sejam utilizados para construir ou adaptar novas versões otimizadas, consertando os erros que, antes, poderiam trazer impactos negativos como consequência.

Considerando esse cenário, um teste de usabilidade se encaixa no processo, logo após o desenvolvimento, na própria cadeia de etapas da criação do software. No entanto, tudo depende dos procedimentos escolhidos para o desenvolvimento.

É muito importante também destacar que o momento de aplicar um teste de usabilidade pode variar bastante, dependendo do tipo de projeto, do modelo escolhido e qual o objetivo dele. Sendo assim, o método pode ser interessante em diferentes momentos, sempre que for conveniente.


Quais são os modelos de teste de usabilidade mais comuns?

Nós separamos os principais modelos de teste de usabilidade aplicados e usados no mercado. Conheça-os:

Teste exploratório

Este tipo de teste é mais usado no início do desenvolvimento de um produto. No seu decorrer, os participantes são convidados a expor suas impressões sobre o assunto principal. Sua aplicação possibilita que a empresa tenha uma visão mais clara das necessidades do seu público, a fim de ter novas ideias e insights a serem implantados na solução final, tanto para o seu lançamento quanto para o futuro.

Teste de avaliação

Este teste proporciona a detecção e o entendimento pleno da satisfação do cliente ao usar um produto. Sendo assim, é possível ter um panorama geral de avaliação, além de saber se as pessoas conseguem usar todas as funcionalidades sem ter dificuldades ou empecilhos.

Eye-tracking

O eye-tracking ou teste de rastreamento ocular, como também é conhecido, permite que os avaliadores investiguem os movimentos oculares dos participantes, usando um dispositivo instalado no computador. Com isso, é possível entender e analisar quais são as seções e pontos que os usuários dão atenção mais dedicada a cada funcionalidade ou tarefa que desempenham.

Teste de benchmark

O teste de benchmark possui o objetivo de estruturar um comparativo entre duas versões de uma aplicação. Com isso, é possível analisar a experiência, velocidade e facilidade de interação com uma interface em dois modelos, a fim de obter insights e novas possibilidades de otimização do produto.

Com isso, compreende-se as melhorias ou defeitos de uma determinada atualização, de modo a proporcionar novas tomadas de decisão no processo.

Teste de aprendizado

Este teste possui o objetivo de avaliar o nível de facilidade de um usuário aprender a lidar com uma interface. Ou seja, os profissionais conseguem entender como está a curva de aprendizado de um determinado projeto com base em pessoas que utilizam a mesma função mais de uma vez.

Depois da primeira interação, os avaliadores percebem se houve algum aumento na facilidade de uso ou se as mudanças aplicadas foram em vão. Em outras palavras, é analisar se há elementos que prevalecem na memória ou se um usuário precisa reaprender a cada vez que entra em uma aplicação.

Dicas para um bom teste de usabilidade

Separamos algumas dicas importantes para que você consiga obter bons insights em seus testes de usabilidade, seja qual for o método utilizado:

Inclua diferentes tarefas em um teste

Ao desenvolver um teste, é recomendável incluir mais de um tipo de tarefa a ser realizada pelos usuários. Geralmente é uma específica, uma mais ampla e uma que leve ao fundo de funil. Isso te ajudará a obter mais insights de todo o processo.

Atenção aos participantes

Escolha participantes que façam parte da sua audiência, ou seja, a representação de suas personas e público-alvo. É recomendável que eles nunca tenham tido contato com a sua marca ou o seu site anteriormente.

Não existe um número ideal de participantes

Não existe uma quantidade exata de usuários para participar. Neste contexto, Jakob Nielsen afirmou que 5 participantes já são suficientes para descobrir 80% dos problemas reais de um público. No entanto, menos pessoas não trarão avaliações tão confiáveis.

Frequência é essencial

Caso o seu produto já esteja desenvolvido, conduza o teste de usabilidade antes de fazer grandes mudanças em sua interface. É importante que haja certa frequência, para avaliar os resultados. Além disso, sempre separe o que as pessoas fazem em seu decorrer com o que elas falam. Isso trará um detalhamento ainda mais profundo da experiência.

Seja um especialista em UX e conduza testes de usabilidade! :)

Até aqui, você pôde entender que existem diversos meios para estudar, avaliar e analisar as preferências, necessidades e desejos de seus usuários, e o teste de usabilidade é a melhor alternativa para isso.

Se você possui interesse em aprender a estruturar um teste de maneira mais assertiva e profissional, a dica é aprender com profissionais que realmente entendam do assunto.

Na Digital House, temos o curso de Experiência do Usuário (UX), que não ensinará você apenas a desenvolver teste de usabilidade, mas também a analisar modelos mentais, criar matrizes, desenvolver pesquisas e otimizar resultados que geram muitos impactos positivos nas grandes empresas.

Todas as aulas são realizadas online, 100% ao vivo e ministradas por professores que são especialistas em organizações conhecidas no mercado. Além disso, temos o departamento de carreiras, onde os alunos podem acessar e conferir diferentes conteúdos exclusivos sobre suas jornadas, além das ações de conexão com grandes empresas, como feiras de recrutamento e outros eventos pontuais.

Aproveite também e confira os demais textos do Blog DH e a nossa biblioteca de conteúdo, recheada de materiais ricos para você aprimorar ainda mais os seus conhecimentos sobre as principais áreas da tecnologia.

Leia mais no blog DH:

+ Google Analytics Dashboard: crie e personalize com o nosso passo a passo

+ O que é brand equity e como as empresas geram valor de marca em seus produtos e serviços

+ Marketing digital para iniciantes: 10 dicas de como começar na carreira

E aí, já segue a gente no Twitter? Vem pra rede, vamos conversar sobre habilidades digitais! ;)