Análise de dados: 5 dicas para criar um bom relatório data-driven marketing

Análise de dados:  5 dicas para criar um bom relatório data-driven marketing

Adotar uma cultura data-driven é um diferencial necessário para um caminho de sucesso, independentemente da área de mercado que a empresa está inserida. Os planejamentos já não podem ser seguidos por suposições, mas sim por dados. É uma obrigação, e é por isso que os relatórios data-drive marketing estão aí.

Com a cultura data-driven, o negócio passa a ter mais exatidão sobre os comportamentos de consumo dos usuários, gerando valor e oportunidade para desenvolver soluções melhores para o público-alvo. Consequentemente, os resultados só aumentam positivamente.

Por que a cultura data-driven é importante?

Data-driven significa “orientado por dados”, ou seja, as empresas que adotam essa cultura data-driven usam dados para analisar suas informações e gerar conhecimentos e insights para tomar novas decisões ou soluções para questões e demandas internas.

Dados são gerados o tempo todo, seja em qualquer área de uma empresa, até mesmo em um simples contato com o cliente em um canal de atendimento. Se a empresa possui a cultura, ela sabe que se estruturar tudo isso, fazer um relatório data-driven marketing e gerar conhecimento a partir dessas informações, pode se expandir muito mais, impulsionando os resultados.

5 dicas para fazer um bom relatório de data-driven marketing

Agora que você sabe da importância da orientação data-driven, deve estar se perguntando: como fazer relatórios data-driven marketing? Nós separamos 5 dicas valiosas para você aplicar em sua empresa:

1) Qual é o seu objetivo?

Para fazer uma análise de dados, é necessário ter algum objetivo para alcançar ou um questionamento para responder. Foque na solução do problema, pois assim você utilizará os indicadores, processos e ferramentas data-driven certos para chegar ao resultado final.

2) Que tipo de análise de dados você precisa?

Um relatório de análise de dados pode conter dados qualitativos ou quantitativos. O primeiro é voltado para opiniões, comentários, avaliações etc. Já o segundo é voltado para números objetivos.

É necessário saber diferenciá-los em sua análise. A coleta desses dados também dependerá do objetivo proposto na dica anterior. É uma necessidade mais objetiva (quantitativa) ou algo com detalhes subjetivos (qualitativa)?

3) Utilize ferramentas data-driven para obter uma fonte de dados

Existem algumas ferramentas data-driven e softwares para marketing digital que auxiliam a captar e analisar um grande volume de dados, o que também chamamos de Big Data. Sempre que possível, utilize-os para otimizar processos na análise.

4) Compartilhamento de dados

É muito importante que os dados possam ser integrados entre as áreas da empresa, para gerar insights baseados numa situação de uma organização como um todo. Dados fragmentados e específicos são úteis, mas se combinados com outros geram muito mais valor.

Tenha um banco de dados e compartilhe-os com outros líderes ou profissionais para obter novas interpretações das informações apresentadas.

5) Planejamento e pensamento de hipóteses

Pensar em hipóteses na análise é algo útil para a experiência final do usuário. Um exemplo: caíram as vendas do seu produto e você acha que a queda tem relação com o aumento das reclamações nas redes sociais?

Colete as informações e dados para gerar relatórios data-driven, para assim poder pensar em uma hipótese. Não fique no achismo ou nas suposições.

Análise de dados: como apresentar?

Com os dados coletados, é necessária a criação de relatórios que promovam a visualização de informações de maneira clara. A tabulação é uma maneira de garantir isso, assim como usar gráficos e outros tipos de quadro em relatórios data-driven marketing.

Para uma boa análise de dados, é preciso não somente apresentar os dados, descrevendo resultados, mas também acrescentar novas visões e conclusões sobre o tema tratado. Uma área de Business Intelligence dedicada somente para isso é ideal para as empresas.

Os dados se tornam os melhores aliados nas estratégias quando se entende, por meio deles, o porquê de determinada situação, identificando problemas e, claro, gerando insights e soluções para tudo.

Saiba fazer também o seu próprio relatório de data-driven marketing!

Que tal seguir a carreira e se tornar um profissional de dados? Na Digital House, temos o curso de Data Analytics, que ensina o aluno a dominar diversos modelos de análise. Seja um especialista da área e garanta sua estabilidade em uma área do futuro.

Não deixe de conferir também nossa biblioteca de conteúdo e o Blog DH, com diversos outros artigos e materiais interessantes sobre tecnologia.

Leia mais no blog DH:

+ Dados abertos: como usar dados públicos para gerar estratégias de negócios

+ Power BI para leigos: aprenda os primeiros passos

+ Resumo LGPD: tudo o que uma empresa precisa saber sobre a nova lei

E aí, já segue a gente no Twitter? Vem pra rede, vamos conversar sobre habilidades digitais! ;)