Proto persona: o que significa e como aplicar?

Proto persona: o que significa e como aplicar?

A necessidade de entender o público-alvo e projetar seus esforços focados neles em um projeto é algo cada vez mais indispensável para as empresas. Logo, ferramentas como a proto persona, que coloca o usuário como o centro de tudo, agrega valor e garante uma ótima qualidade ao produto digital.

Somado a isso, a empatia é um ponto que também é fundamental no processo de criação de produtos pensados em seus usuários finais. Sendo assim, saber o que é proto persona é essencial para garantir um ótimo resultado ao término de tudo isso

Acompanhe este artigo e entenda o que é, para que serve e como aplicá-la em um processo de desenvolvimento.

O que é proto persona e para que serve?

Antes de explicarmos o que é proto persona, precisamos entender o que é uma persona. Essa é uma ferramenta utilizada em diferentes áreas, como marketing, vendas, entre muitas outras, mas principalmente em UX.

É a representação de personagens fictícios que utilizam os produtos e/ou serviços de uma marca, criadas com base em pesquisas avançadas, como as de UX Research, que reúnem os padrões de comportamento, motivações, necessidades, preferências, problemas e frustrações desses consumidores.

As proto personas são como esboços das personas. Sendo assim, para a sua criação, não é necessária uma pesquisa tão apurada como no processo de persona, mas ela também possui as características dos usuários, que orientam a equipe a tomar boas decisões, de forma empática, para um bom resultado final e a melhor experiência de usuário de um determinado produto.

A coleta de informações para a construção das proto personas geralmente parte do conhecimento dos stakeholders, ao invés de dados coletados minuciosamente com as pessoas.

Geralmente, a ferramenta é utilizada por organizações que já possuem maturidade em seus processos de UX Design. Neste cenário, os stakeholders e o time de produto já conhecem bem para quem estão construindo e, juntos, criam a proto persona que condiz com o usuário final, deixando de lado seus achismos e colocando os fatos em evidência.

O mais importante é que todos saibam que a utilização da proto persona é essencial para que uma determinada marca crie algo pensando em seus usuários, que são bem variados. As pessoas que trabalham na criação podem até ser consumidores finais do produto também, mas elas não possuem todas as características, diversidade e necessidades de todos.

A Digital House entende a importância de tudo isso no mercado atual e sabe que UX é uma área que só tende a crescer no futuro. No curso de Experiência do Usuário (UX), os alunos aprendem todos os conceitos e princípios, como a proto persona, para garantir o melhor desenvolvimento de produto nas empresas.

Que tal dar uma olhada na grade do curso e ver como vale a pena investir em uma ótima formação? Fica a dica.


Por que utilizar uma proto persona ao invés da persona?

Até aqui, você deve estar se perguntando: se a persona é feita a partir de uma pesquisa muito mais elaborada, com mais dados, a partir de pesquisas qualitativas e diretamente com os usuários, por que utilizar a proto persona?

Na verdade, a utilização da proto persona pode partir de diferentes motivos e nós vamos te explicar alguns deles agora mesmo. Confira:

Economia de tempo

Por utilizar dados mais simples, o tempo de criação de uma proto persona é muito menor, se comparado com a criação de uma persona, que necessita de tantas informações e processos.

Economia financeira

Nem sempre as empresas possuem verbas suficientes para construir personas. Sendo assim, é preciso aproveitar cada oportunidade e recursos disponíveis para o momento. Por isso, em muitos desses casos, a proto persona acaba sendo uma ótima alternativa e contribui muito para um desenvolvimento de UX assertivo.

Dados simples

Quanto mais simples as informações, sua coleta também acaba sendo mais fácil de realizar. Não são necessários métodos muito avançados para se conseguir dados dos usuários, facilitando o processo todo da empresa. Lembrando que essas informações não deixam de ser relevantes, pois são fatos reais dos usuários.

Empresas com maturidade

Como abordado anteriormente, as empresas que possuem seus processos de UX Design bem definidos são as que, geralmente, acabam adotando a ferramenta. Imagine que há um produto de uma empresa, onde já há uma persona definida e eles precisam lançar uma nova funcionalidade. Neste caso, essa novidade teria um público específico e fazer uma proto persona seria uma boa escolha.

Como aplicar a proto persona em um processo de criação?

Primeiramente, no processo de criação, é importante ter em mente que é necessário solucionar um ou mais problemas presentes no público-alvo, onde as proto personas estão inseridas. Neste contexto, a proto persona é uma opção de baixo custo e simples de se fazer! Para facilitar, 4 perguntas-chave podem ser aplicadas. Quais são elas? Confira agora mesmo:

Quem é o usuário?

Ao responder essa pergunta, recomenda-se ter uma foto, um nome, cargo, características pessoais e uma frase sobre esse personagem. Informações demográficas e comportamentais também são essenciais para este item.

Quais são as prioridades?

Com esta pergunta, devemos entender quais são as prioridades que os personagens fictícios possuem no dia a dia e o que levaria eles a tomar um processo de decisão entre um produto ou outro.

Quais são os objetivos?

O que a minha proto persona tem como objetivo? Quais são suas dores? O que ele(a) precisa para resolver suas necessidades?

Que problemas nós podemos resolver?

Ao fazer este questionamento, a empresa deve se certificar de que o seu produto está alinhado com todas essas expectativas, listando suas soluções em potencial.

Após a etapa de criação da proto persona, onde houve uma discussão apurada em equipe, devemos ter em mente que o material não está finalizado. Novas informações podem ser acrescentadas, outras descartadas ou até mesmo novos personagens podem ser feitos, caso haja necessidade.

A proto persona é um processo que está sempre presente no dia a dia de uma equipe, geralmente impressa, colada em um local visível e acessível. Assim, todos os membros podem discutir e revalidar pontos de todo o projeto, que está orientado para a melhor experiência do usuário final.

Caso haja a possibilidade da criação de uma persona, as informações da proto persona não devem ser descartadas e podem ser utilizadas para aprimorar ainda mais esse grande processo.

Lembre-se: a empresa não é o usuário final! Por mais que elas criem as proto personas, pensando nas necessidades, nos feedbacks que já receberam e/ou nos usuários que já conhecem, é sempre necessário criar um ou mais personagens fictícios, garantindo que ela não está resolvendo um problema próprio.

E aí, o que achou de aprender sobre proto persona em um desenvolvimento de produto? O mais importante é entender que um bom profissional de UX Design deve sempre trabalhar lembrando que a projeção é para os usuários, que são o centro de tudo.

Não deixe de conferir também o nosso artigo sobre protótipos de baixa fidelidade, entendendo seu significado e importância dentro do processo de desenvolvimento de um produto.

Leia mais no blog DH:

+ SEO para E-commerce: como ranquear sua loja virtual

+ Brand Personas: o que são e como fazer?

+ Estrátegia para gerar leads: do básico ao avançado

E aí, já segue a gente no Twitter? Vem pra rede, vamos conversar sobre habilidades digitais! ;)