Carreira profissional: conheça as profissões que ganham bem e não precisam de faculdade

Carreira profissional: conheça as profissões que ganham bem e não precisam de faculdade

Ganhar bem, sem precisar fazer, no mínimo, 4 anos de faculdade. Sem dúvida, esse é um desejo presente em muitas pessoas que, normalmente, não conhecem as profissões que ganham bem e não precisam de faculdade.

No entanto, a situação se mostra diferente, principalmente para as pessoas que possuem interesse na área de tecnologia. São poucos profissionais qualificados para muita demanda. E não somente no Brasil, mas também em outros países, pois esse é um cenário mundial.

Por que existem profissões que ganham bem e não precisam de faculdade?

Normalmente, quando se fala de profissões que não exigem faculdade, sempre há a divisão de opiniões por ser um tema que costuma ser polêmico. Está enraizado na cultura o ingresso em uma graduação logo que os estudantes se formam no ensino médio, sem cogitar outros tipos de caminhos "menos tradicionais". Mas sim, é possível existir profissões que ganham bem e não precisam de faculdade.

De um lado, muitas pessoas defendem que a faculdade é perda de tempo. Há alguns no meio disso, dizendo que depende e outros falando que é essencial e assim por diante.

Mas não podemos negar os fatos, existem sim profissões que pagam bem e não exigem uma graduação para ingressar na carreira. Isso porque um curso superior de faculdade foca na formação em uma área de conhecimento, deixando de lado as questões técnicas que o mercado exige tanto, embora tenham módulos voltados para tal.

Além disso, ela fornece bases teóricas e práticas da área escolhida para, assim, utilizar desse conhecimento para diferentes contextos e caminhos. Um aluno pode escolher seguir no mercado de trabalho, fazer uma pesquisa ou escolher outras opções depois de se formar.

Sendo assim, o objetivo da faculdade de tecnologia da informação, por exemplo, é explicar conceitos que estão por trás de toda área e não ensinar a construir websites, aplicativos ou as tecnologias mais modernas. Para isso, a pessoa pode fazer um curso específico da função que deseja, como as da Digital House.

Portanto, tenha cuidado com as suas expectativas. Se optar por entrar na faculdade, para buscar entender o “como fazer" ou o passo-a-passo, na realidade você entenderá o “o que” e o “porquê” e isso pode causar uma grande decepção.

O RH quer habilidade e não somente um diploma de graduação

Cada vez mais as pessoas se decepcionam com suas experiências durante a graduação e procuram profissões que ganham bem e não precisam de faculdade. Isso ocorre porque o acesso às universidades públicas, que são as prioridades de escolha dos estudantes, é restrito e a consequência é um mercado competitivo com inúmeras opções de instituições particulares.

Essa alta concorrência obriga as universidades a reduzir suas mensalidades, para atrair novos alunos e, em muitos dos casos, acaba afetando a própria infraestrutura, com falta de atualização de livros, materiais, laboratórios e a própria tecnologia para colocar os conhecimentos em prática.

Com este cenário, junto ao fato de as faculdades não ensinarem habilidades técnicas específicas, as empresas acabam abrindo mão dos diplomas, procurando características que demonstram grande potencial do candidato para complementar posteriormente seus conhecimentos em treinamentos internos.

Entretanto, deixar de contratar sem uma graduação não quer dizer que as empresas não possuem critérios. Muito pelo contrário! O candidato deve comprovar seu conhecimento dos assuntos nas entrevistas, as quais, na maioria das vezes, possuem testes de habilidades.

Mais importante do que possuir um diploma, é ter o desejo de fazer acontecer. Empresas desse segmento querem pessoas dinâmicas, hábeis, inconformadas por natureza e que buscam soluções para os problemas.

A área de programação como exemplo de carreira

O curso superior é muito importante em diversas carreiras e especialidades. Entretanto, algumas delas podem ser exercidas se o profissional tiver conhecimentos técnicos e a busca constante por aperfeiçoamentos na área, além de pagarem muito bem!

Um exemplo é a área de programação. Um desenvolvedor de aplicativos, por exemplo, possui uma gama enorme de oportunidades no mercado de trabalho, com poucos profissionais competindo por uma mesma vaga.

Quem possui o domínio das linguagens de programação, como o JavaScript, por exemplo, e se familiariza com o mundo digital, pode desenvolver aplicativos, contribuindo com grandes empresas.

Há diversos cursos da área, como os da Digital House em Desenvolvimento Mobile iOS ou Desenvolvimento Mobile Android, que fornecem a base necessária de conhecimento técnico para o aprimoramento da profissão.

Independentemente de como adquirir as habilidades técnicas, comprovar esse domínio já basta para conseguir ingressar no mercado de trabalho na área. Possuir um bom portfólio é essencial nesse contexto.

Programa Certified Tech Developer: a oportunidade para ingressar em uma carreira de sucesso

Nós te contamos que a programação é um exemplo de carreira de sucesso e não exige faculdade. Neste contexto, apresentamos o programa Certified Tech Developer, da Digital House.

Ele foi desenvolvido para jovens e fornece, de maneira intensiva, todos os conhecimentos necessários para a sua inserção no mercado de trabalho, por meio da indústria tecnológica com programação.

Ao fim dos dois anos, o programa oferece o título de Certified Tech Developer (Tech Degree), um novo conceito acadêmico baseado em metodologias ágeis e focado na prática.

Com essa certificação, é possível atuar em diversas especialidades, sendo que os participantes também terão a oportunidade de escolher a especialização de front-end specialist ou back-end specialist.

No mercado de trabalho de toda a América Latina, existe uma crescente necessidade de pessoas qualificadas em tecnologia, mas, ao mesmo tempo, a porcentagem de jovens capacitados para o segmento é muito baixa.

Quais os requisitos e o objetivo do programa?

Essa é uma oportunidade destinada para jovens, sem experiência prévia em programação, que queiram aprender de maneira intensiva, obtendo toda a base de conhecimento necessária para o dia a dia profissional e assegurando sua empregabilidade.

O aluno terá a oportunidade de aprender programação do zero. Os únicos requisitos são: conclusão do ensino médio e idade mínima de 16 anos. Ao final do primeiro ano de curso, o aluno já terá conhecimentos suficientes para ingressar no mercado de trabalho.

Agarre essa oportunidade única!

As inscrições são limitadas e terminam no dia 14 de abril. São 250 bolsas disponíveis, de até 95% de desconto!

Portanto, não perca tempo e se inscreva agora mesmo em um programa com um modelo de aprendizagem prática, que capacitará o aluno da melhor maneira para qualquer desafio profissional que possa enfrentar.

Leia mais no blog DH:

+ Escola de marketing digital: Conheça os cursos de marketing da Digital House

+ Métricas de marketing: como defini-las em um plano de estratégia?

+ Marketing digital para iniciantes: 10 dicas de como começar na carreira