People analytics: como usar essa ferramenta para ter um RH mais estratégico?

People analytics é um método de gestão de pessoas baseado na coleta e análise de dados sobre os funcionários, tornando o RH mais estratégico e otimizado.

People analytics: como usar essa ferramenta para ter um RH mais estratégico?

Já pensou em ter um RH mais estratégico, que otimize os processos, com taxas baixas de turnover e que atraia e retenha os melhores talentos? Pois saiba que isso é possível! Para isso, conte com o people analytics.

Esse método de gestão é baseado na coleta e análise de dados sobre os colaboradores de uma empresa, permitindo que seu negócio alcance resultados acima da média, graças a um conjunto de processos seletivos mais ágeis, claros e objetivos, além da melhoria no desempenho das equipes.

E não importa o porte ou segmento da empresa, você pode contar com o método para realizar processos de recrutamento e seleção mais direcionados, bem como tomar decisões assertivas em RH. Tudo aliado à tecnologia.

Ficou curioso(a)? Quer saber como tornar isso possível? Então acompanhe nosso artigo e descubra tudo o que você precisa saber sobre esse método.

O que é a ferramenta people analytics?

Também conhecida como análise de pessoas, de talentos ou de RH, a ferramenta people analytics é a abordagem orientada a dados que coleta, organiza e diagnostica informações sobre as equipes da empresa, por meio de softwares que cruzam as informações de diversas fontes.

Esse método pode ajudar líderes, gerentes e executivos a tomar decisões mais acertadas sobre seus funcionários. Dessa forma, é possível acompanhar de modo imediato fatores como o engajamento, produtividade e a satisfação das pessoas na organização.

People analytics: como usar essa ferramenta para ter um RH mais estratégico?

Para que o people analytics aconteça, é preciso seguir os seguintes processos:

Coleta

Esta é a hora de colher todos os dados e informações que serão analisados. Pode ser por meio das redes sociais, pesquisas, currículos, sistemas de gestão da organização e diversos outros locais.

Cálculo

Esse momento corresponde à análise da coleta dos dados. Quanto mais variadas forem, mais amplas são as possibilidades. Aqui, você consegue descobrir as respostas para todas as perguntas relevantes.

Análise

A partir dos dados analisados e das respostas aos cálculos, é possível tomar decisões com mais embasamento para a gestão da empresa, podendo descobrir novas tendências, lacunas, forças e problemas da equipe e da empresa.

Modelagem

Na modelagem, é possível cruzar todos os dados colhidos e descobrir a conexão entre as informações necessárias. Assim, é possível pensar em maneiras de estruturar a equipe, distribuir benefícios e programas de incentivo.

Segundo a empresa de consultoria Gartner, o analytics é composto por quatro níveis de classificação, sendo que cada um deles se define pelo tipo de informação que oferece a partir da análise dos dados. E, ao realizar essas investigações, é possível explorar esses tipos, obtendo diferentes informações com cada um deles. Os níveis são:

Descritiva: usada para obter a descrição de um evento já ocorrido. Ferramentas de Business Intelligence (BI) são bastante utilizadas pelas empresas para esse tipo de análise.

Diagnóstica: aqui é possível apurar as causas de um problema, utilizando técnicas avançadas para extrair dados e estatísticas.

Preditiva: nessa fase, as informações extraídas de dados históricos ajudam a prever eventos futuros.

Prescritiva: essa etapa é mais avançada, sendo possível obter uma perspectiva de problemas futuros, descobrindo o que pode ser feito para resolvê-los e minimizando os impactos para a equipe de trabalho e à produtividade da empresa.

O futuro do people analytics pode ser vislumbrado com a nova era tecnológica, que está despontando com a chegada do machine learning e do uso da inteligência artificial nas corporações. Com isso, é possível avaliar o indivíduo em sua singularidade, seus padrões de comportamento, suas habilidades interpessoais, entre outras questões que podem evitar um erro na admissão do profissional, contribuindo para um melhor clima organizacional, além de permitir a previsão de um plano de carreira para quem está começando.

Como funciona o Big Data Analytics?

As empresas têm identificado muitas vantagens ao implementar processos de Big Data em RH. Mas, engana-se quem acredita que essa solução é o simples fato de reunir dados. É preciso ter uma visão abrangente da empresa, ou seja, aplicar a ciência de dados à performance, recrutamento, seleção, desempenho, cultura, desenvolvimento, entre outros.

E-book carreira em Dados. Aprenda com especialistas do Mercado pago. Baixe agora!

O processo de análise de dados permite otimizar o entendimento de cenários e padrões, graças à análise bem cautelosa e exata. Todos esses padrões são elaborados com o objetivo de filtrar e levar apenas as informações úteis. Importante ressaltar que, por trás disso, existe um ciclo que abrange desde a extração até a organização, tratamento e análise dos dados.

Quando falamos de Big Data Analytics, podemos dizer que sua aplicação acontece por meio de três principais formas. São elas:

Social Data: o Social Data realiza a extração e armazenamento de dados, compilando perfis e comportamentos de pessoas.

Enterprise Data: se refere aos dados corporativos estocados e veiculados dentro das empresas, apoiando a tomada de decisão quanto aos negócios.

Personal Data: essa forma pode ser um pouco polêmica quando se trata de privacidade das informações pessoais, pois tem como base a coleta de dados dos indivíduos, obtidos por meio dos smartphones, a exemplo da geolocalização.

Dados para a tomada de decisão

Você pode estar se perguntando se é possível prever comportamento com base em dados? A resposta é sim! Os sistemas de recomendação costumam utilizar o histórico de ações realizadas por seus usuários para extrair padrões e, assim, sugerir itens que façam sentido.

Esse mesmo tipo de tecnologia, que utiliza técnicas de Inteligência Artificial (IA), pode ser aplicado para ajudar a identificar, estudar e prever tendências de comportamento dos colaboradores de uma empresa.

Para tomar decisões mais estratégicas no RH é preciso entender que, a análise de dados contribui de várias maneiras para melhorar a efetividade do setor, potencializando resultados. As principais áreas que podem ser beneficiadas pelo uso de dados são:

Principais áreas são beneficiadas com uso de dados

Ao investigar as informações por meio da análise de dados, você também pode identificar hiatos e a necessidade de novas contratações. Isso vai ajudar a entender como envolver as equipes e melhorar a gestão de pessoas.

Qual o objetivo do banco de dados no RH?

Coletar, organizar e se basear em um grande volume de dados para, então, conseguir filtrá-los e utilizá-los na tomada de decisões pode parecer trabalhoso, ainda mais em um setor que, para alguns, não guarda relação com eles. Mas, poder se basear em dados na área de gestão de pessoas contribui para a eficiência e eficácia da área. Afinal, em muitos casos, essa ação é guiada pela intuição dos líderes que, com o tempo, costumam criar e comandar equipes de acordo com suas experiências e resultados de sucesso.

No entanto, não dá para tomar decisões importantes baseadas em algo subjetivo, não é mesmo? E é aí que entra o banco de dados. Além dos pontos já mencionados ao longo do artigo, há, ainda, diversas vantagens em apostar nele, são elas:

People analytics: como usar essa ferramenta para ter um RH mais estratégico?

Análise preditiva

A partir da coleta e análise de dados e do uso de softwares de IA, algumas ferramentas são capazes de realizar análises preditivas, gerando relatórios com o perfil comportamental, competências e o potencial de cada profissional, além de traçar modelos de previsão sobre atitudes, pensamentos e comportamentos em variadas situações.

Melhora na performance

Ao poder tomar decisões com mais segurança, baseadas em informações mais sólidas, é possível observar uma melhora na performance das equipes, que tem suas lacunas e forças mais bem mapeadas e trabalhadas.

Promoção da cultura de dados

Investir no uso de dados no RH é uma maneira de promover a cultura de decisões baseadas em dados. Isso contribui para uma maior assertividade, agilidade e eficiência em todas as áreas da empresa, que vão executar suas atividades de forma mais estratégica.

Assertividade nas decisões

Como a cultura de dados no RH traz mais insumos para as decisões do negócio, grandes benefícios podem ser percebidos, como a agilidade nas escolhas e a segurança em si. Como consequência, há a redução de custos operacionais, menos retrabalho e melhores resultados nas tarefas desenvolvidas.

Como você pode perceber, o people analytics possibilita usar, da melhor maneira possível, os dados para aprimoramento constante e evolução da equipe. E, agora que você já conhece seus benefícios e como ele pode revolucionar os processos, que tal se aprofundar no universo de dados?

Na Digital House você poderá ampliar suas capacidades analíticas, para tomadas de decisões mais assertivas com o curso de Data Analytics. As aulas são online, 100% ao vivo e ministradas por professores especialistas que estão no mercado.
Além disso, a DH conta com o departamento de Carreiras, onde os alunos podem acessar diversos conteúdos exclusivos sobre suas jornadas. Inscreva-se agora mesmo e garanta o seu futuro profissional!

Fique por dentro das novidades do mercado tech. Assine nossa newsletter.