O que esperar das tendências para Transformação Digital

O que esperar das tendências para Transformação Digital

São cerca de 420 mil vagas de tecnologia a serem abertas só no Brasil, segundo a pesquisa da ABStartups e Brasscom de 2019. Acontece que falta mão de obra qualificada para ajudar nessa transformação digital prática, dentro das empresas.


As empresas, por sua vez, têm buscado habilidades e competências que tornem o profissional competitivo no mercado, alavancando os negócios. Para entender um pouco mais desta (re)evolução não tão silenciosa, que abrange educação e carreiras, acompanhe as principais tendência para transformação digital e como se destacar no mercado.


Novas tecnologias, não tão emergentes assim


Cada tecnologia tem um impacto na sociedade. E este impacto não representa somente a mudança em um mercado, ela modifica primeiramente o consumidor. Quando chega uma nova tecnologia, ela altera um comportamento e quando ele muda, começa a demandar de todo o mercado, e assim por diante.


Por mais que a aplicabilidade de algumas delas pareçam obra de ficção científica, as tecnologias a seguir são anunciadas por especialistas como as principais tendências de 2020:


  1. Mobilidade Urbana & Logística;
  2. Fintechs & Hábitos de Compra;
  3. LGPD & Cibersegurança;
  4. Assistente de voz & Comportamento do Consumidor.


1 - Mobilidade Urbana


Esse tipo de mobilidade é uma tendência mundial, não pelas empresas, mas nascida da necessidade de pessoas se locomoverem, seja por meio de patinete ou por bicicleta.


A opção de não ter carro não se restringe ao fato de economizar dinheiro, apenas. Mas uma economia fantástica de tempo. Embora no Uber você fique no trânsito da mesma forma, com um motorista ao seu dispor você está com as mãos livres, podendo ver e-mails, ouvir podcast, ler alguma coisa, responder mensagens e otimizar sua rotina de trabalho.

Mobilidade no que se refere a carros autônomos, no Brasil não há previsão de chegada. Porém, lá fora, está dando certo. A Waymo vai expandir para outras cidades americanas. É possível  que chegue a uma das grandes cidades de nosso país em breve.


Para isso, profissionais que trabalham com dados serão requisitados no mercado, para criar um sistema robusto e seguro com a finalidade de verificar melhores rotas, compartilhamentos de corridas, valores, clima/tempo, entre outros.


Cientista de dados é o profissional mais procurado do século XXI, segundo a Harvard Business Review. Por ser uma área nova e com alta demanda, a procura por esse perfil de profissional não para de crescer. Em média, o salário inicial para Data Science é de R$ 4.960,00. De 2018 a 2019, a demanda por esses profissionais aumentou 236% (fonte: Revelo, Julho 2019).




2 - Fintechs, hábitos de compra e guerra dos QR Codes


A mudança desse setor pretende afetar significativamente a sociedade. Essa repaginada é o que o pessoal está chamando de Guerra dos QRCodes. Em alguns aplicativos, você paga por este serviço. Mas, o que impacta e faz o crescimento desta tecnologia ser rápido é a questão da comodidade que força o mercado à uma mudança estrutural.


É novamente a sociedade impulsionando os mercados e o consumo.


3 - LGPD e Cibersegurança


A Lei Geral de Proteção de Dados ( LGPD), promulgada em agosto de 2018, em linha gerais define que toda empresa precisa pedir consentimento para manter os dados de qualquer cidadão ou empresa.


Esse consentimento precisa ser explícito pela empresa. O único dado que uma empresa pode manter é o que ela precisa para prestar um serviço, durante o contrato vigente.


Com esse panorama, muita coisa muda. Como a procura por profissionais, os investimentos em cibersegurança e, em um nível mais competitivo, abre cenário até para espionagem industrial. Hoje em dia, a maioria das plataformas de e-mail marketing já está preparada para disparar mensagens com autorização, gravando a permissão e dando acesso a parte de consentimento ao titular. Se a sua plataforma não tem essa dinâmica, é preciso se ater rapidamente, configurando a parte de LGPD.


4 - O fenômeno dos assistentes de voz


Os principais assistentes de voz, atualmente, são: Amazon Alexa, Google Assistant, Bixby, Cortana e Siri. Os dois primeiros já funcionam muito bem. Nos Estados Unidos, cerca de 30% das residências têm assistente de voz , podendo chegar a 50% (2020). Essa pesquisa é baseada na tendência de compra, como na BlackFriday, quando bateu como um dos serviços mais vendidos, e durante o Natal.


Banco do Brasil, Nubank, IFood e Rappi, em dezembro de 2019, lançaram integrações com o Google Home. Isso quer dizer que hoje você já pode fazer pedidos de delivery e consultas de saldo, tudo em Português (Brasil). Aliás, o idioma já é a segunda língua mais usada para comando de voz, conforme o Google. E sabemos que a imensa população de falantes desta língua está no Brasil.


Cada vez mais as empresas buscam deixar aplicativos mais interessantes e funcionais, para que se conectem com essa nova realidade. E não é só os aplicativos que ficam mais interessantes, mas o salários dos profissionais que os desenvolvem.


Profissionais focados no desenvolvimento de app, tanto para Android como IOS, possuem grande vantagem. O salário inicial para desenvolvedores mobile android é de R$ 3.796,00, em média. A demanda por esses profissionais cresceu 85% de 2018 para 2019 (fonte: Revelo, julho/2019).



E o próximo passo?


Com tantas previsões, na prática, fica claro que a tecnologia do futuro está logo ali, com a sensação que o processo é constante, interligado e estrutural, e que inovação vai muito além de tecnologia, mesmo a aplicada.


Qualquer que seja seu objetivo profissional para 2020, considere que você precisa estar conectado a estas mudanças. A Digital House é uma das principais escolas com foco no desenvolvimento de habilidades digitais do mundo, com sede em São Paulo (desde 2018) e mais de 20.000 alunos formados, contabilizados até 2019, com projeção de dobrar de tamanho em 2020 e aumentar seu portfólio de cursos. O lugar certo para dar o start da sua carreira, ou o upgrade, com a imersão no mercado que a Transformação Digital traz.


A escola possui cursos livres, programas executivos e in company nas áreas de conhecimento: Dados, Programação, Marketing Digital, Negócios e UX. Para cobrir todas as disciplinas do mundo digital, novos cursos serão lançados em 2020: Cybersecurity, Cloud, Agile e IA - Artificial Intelligence.