O que é PWA: quando usar e as vantagens de sua aplicação

O que é PWA: quando usar e as vantagens de sua aplicação

Se você está aqui, muito provavelmente tem o costume de navegar pela internet e, com certeza, já acessou um site que te fez sentir como se estivesse usando um aplicativo, não é mesmo? É neste contexto que te jogamos a seguinte pergunta: o que é PWA?

Ela é uma tendência nas ações de marketing digital, principalmente para as marcas e empresas que concentram suas ações principais, como vendas de produtos e serviços, nas plataformas online e procuram oferecer a melhor experiência de usuário aos seus clientes. Acompanhe este artigo e entenda o que é PWA, como funciona e as principais vantagens de sua utilização.

O que é PWA?

Surgido como um novo modelo de desenvolvimento de software, o Progressive Web App (PWA) transforma os navegadores (páginas web) em verdadeiras plataformas de apps!

Imagine a seguinte situação: um usuário que possui o costume de acessar um determinado site regularmente pelo navegador de seu smartphone e recebe um aviso para adicioná-lo à sua homepage de aplicativos.

Agora, ele possui o ícone do app na tela inicial do seu dispositivo e pode ter a mesma experiência que tinha anteriormente no navegador, mas, agora, sem as informações, como barra de endereço, botões, favoritos etc.

Podemos entender que o PWA nada mais é do que as páginas web ou sites regulares, em seu formato técnico, mas que aparecem como aplicativos tradicionais ou móveis (nativos) ao usuário, combinando os recursos oferecidos pelos navegadores modernos com os benefícios da experiência móvel.

De acordo com um levantamento da Forrest Research, as pessoas costumam utilizar 80% do tempo em seus smartphones nos mesmos 5 apps. Além disso, 60% dos aplicativos disponíveis nas lojas oficiais não chegam nem a ser baixados.

Você pode pensar que essas informações soem como uma “crise dos apps”. No entanto, se analisarmos todo esse cenário cautelosamente, entendemos que, na verdade, o PWA é o resultado de uma evolução de mercado, que é constante e sempre mudará em prol das preferências dos usuários.

Como funciona a tecnologia PWA?

A tecnologia PWA possui diferentes componentes técnicos, que, ao serem combinados, fazem com que o aplicativo web funcione da melhor forma. Confira:

Service worker

O service worker é um componente Javascript, que funciona como um proxy entre o navegador e a rede, gerenciando as notificações por push e possibilitando a criação de um aplicativo web offline, através da API de cache do navegador.

Falando de um modo não técnico, o que tudo isso quer dizer? O service worker armazena todos os recursos necessários no cache do navegador. Dessa forma, quando um usuário utilizar um aplicativo e decidir retornar seu uso novamente, tudo vai estar da mesma maneira que ele deixou, como seria em um app, de fato.

Manifest

O manifest é um arquivo que contém todas as informações do aplicativo, como o ícone que aparece na tela inicial do dispositivo, o nome abreviado do app, o plano de fundo ou o tema, entre outras funções.

HTTPS

Com o service worker realizando a ponte entre as solicitações de rede e os resultados no aplicativo para o usuário, o PWA precisa do HTTPS e seu protocolo para total segurança do funcionamento.


Quando utilizar o Progressive Web App?

O PWA é uma ótima opção quando o negócio deseja migrar sua versão web para um aplicativo, resolvendo as necessidades de seus usuários a partir de funcionalidades simples e com muita velocidade.

O principal objetivo do PWA é a integração da interface de um aplicativo e todas as praticidades de uma página web. No entanto, os recursos vão muito além disso. Assim como os reais aplicativos, os Progressive Web Apps podem ser executados a partir das telas iniciais dos celulares e/ou desktops, acessando recursos do aparelho e entregando notificações aos seus usuários.

Eles passaram a ganhar um novo foco e impulsionar também o uso nos desktops quando, em 2018, a nova versão do Google Chrome veio com novidades, incluindo um suporte para os PWAs, que funcionava perfeitamente no Windows.

Lembrando que, em um aplicativo nativo, a performance é a máxima possível, enquanto no PWA há certas limitações por ser um ambiente híbrido, principalmente em aplicações e funcionalidades mais robustas. Portanto, é viável analisar as necessidades do negócio para chegar à conclusão de qual das opções é a melhor.

É importante considerar que a criação de um PWA exige menos esforço do que o nativo, mas a empresa também pode ter os dois em suas ofertas. O primeiro, para gerar um acesso limitado e eficaz para recursos que aceleram o processo do usuário de abrir o browser e utilizar a aplicação, enquanto o nativo oferece todas as funcionalidades restantes disponíveis.

Nessa eficácia, o PWA precisa ser muito rápido e resolver de maneira simples a funcionalidade mais comum da sua aplicação.

Vantagens de usar a aplicação

Acompanhando o artigo até aqui, além de entender o que é PWA, você também deve ter percebido diversas vantagens de aplicá-lo. Mesmo assim, vamos destacar as principais, para te ajudar a entender o porquê dele ser uma opção viável para os negócios:

Praticidade

O usuário não precisa realizar downloads, atualizações, aceitar termos de uso ou enfrentar centenas de burocracias e permissões. Basta somente acessar uma URL, que pode estar fixada na tela inicial do smartphone, e encontrar o que está precisando.

Engajamento

O envio de notificações aos usuários é uma das grandes inovações do PWA, em comparação às web apps tradicionais. Sendo assim, há o engajamento como um aplicativo nativo, estimulando o uso de cada vez mais pessoas na plataforma.

Agilidade

Não é necessário ter uma conexão com velocidade alta. Os PWAs conseguem suportar as oscilações na rede, que são comuns de acontecer. Sendo assim, o acesso para usuários com limitações para realizar downloads e atualizações é expandido.

Acessibilidade

O desenvolvimento de PWAs é mais simples, aberto, barato e menos burocrático do que seria um aplicativo nativo, que necessita da linguagem de programação do sistema operacional a que se destina, além da aprovação para ser disponibilizado nas lojas oficiais, o que pode ser muito demorado.

Responsividade

A boa experiência do usuário é um dos principais objetivos dos PWAs. Eles possuem design responsivo, ajustando-se a qualquer formato de tela, além de poder ser executado em diferentes navegadores ou sistemas, utilizando a mesma URL.

Parou para analisar que todas essas vantagens têm o foco na melhor experiência do usuário, para que ele obtenha o que necessita? Seja um produto ou serviço, os PWAs oferecem o que é necessário, com a melhor performance de sistema.

A Digital House entende a importância da área de UX, que nada mais é do que o oferecimento dessa boa experiência, e sabe que se trata de uma tendência cada vez mais forte no mercado de trabalho. Sendo assim, confira o nosso curso de Experiência do Usuário (UX). Além de ensinar o processo como um todo, ele também aborda as diferentes áreas dentro de UX, de forma detalhada, tornando possível ao aluno optar por uma especialidade de sua preferência.

Caso o seu interesse seja a carreira de programação e desenvolvimento de aplicativos, conheça os nossos cursos de Desenvolvimento Mobile Android e Desenvolvimento Mobile iOS e torne-se um profissional de sucesso no mercado, capaz de solucionar qualquer desafio do dia a dia da melhor maneira.

Como identificar exemplos de PWA?

Para te ajudar a entender como identificar exemplos de PWA, vamos te mostrar alguns dos principais exemplos que vêm chamando a atenção constante de pessoas e empresas. Confira:

Twitter

O Twitter é um dos pioneiros e principais exemplos de Progressive Web App para dispositivos móveis Android e Windows. Seu sistema funciona como um app comum, mas é um site focado na experiência mobile, podendo ser acessado sem a necessidade de download ou de abrir o navegador.

Pinterest

O Pinterest também é outro exemplo de rede social que lançou um Progressive Web App, pensando em oferecer uma melhor experiência do usuário ao seu público. Os resultados foram ótimos: tiveram um aumento de 50% nos cliques em publicidade e 40% nos gastos dos usuários.

Uber

O Uber criou um PWA para suprir a necessidade dos usuários que precisam do serviço em lugares com conexões de internet inferiores do que nas grandes cidades. Suas funcionalidades são muito próximas do aplicativo nativo, mas, em compensação, a plataforma carrega em menos de 3 segundos, funcionando também em redes 2G.

Em poucas palavras, todos esses exemplos de Progressive Web Apps são flexíveis, funcionando em qualquer tipo de lugar, não precisando de muitos recursos e, ao mesmo tempo, entregando o que o usuário precisa com uma ótima performance.

E aí, gostou? Se durante a leitura você se interessou ainda mais pela área de programação e quer saber como ingressar nela da melhor forma, recomendamos a leitura do nosso artigo que conta se é necessário fazer uma faculdade ou não para ser programador.

Leia mais no blog DH:

+ Google Analytics Dashboard: crie e personalize com o nosso passo a passo

+ O que é brand equity e como as empresas geram valor de marca em seus produtos e serviços

+ Marketing digital para iniciantes: 10 dicas de como começar na carreira

E aí, já segue a gente no Twitter? Vem pra rede, vamos conversar sobre habilidades digitais! ;)