Mudança Profissional: 3 dicas e um exercício para sua transição de carreira

Mudança Profissional: 3 dicas e um exercício para sua transição de carreira

A mudança profissional é um grande sonho para muita gente. Também é um grande desafio num país como o nosso, onde o desemprego é assombroso. A gente fica com medo de trocar o certo pelo duvidoso e muitas vezes acaba metendo os pés pelas mãos. Meu objetivo aqui é te oferecer três dicas — e uma ferramenta poderosa — para você tornar sua mudança profissional mais assertiva.

Fotografia da Yulia Matvienko no Unsplash

Mudança profissional: Onde tudo começou

Há séculos, tudo que entendemos sobre a palavra trabalho está ligado ao sofrimento.

A maioria dos pesquisadores parece ter batido o martelo em relação à origem dela: viria de tripalium, um instrumento com três paus utilizado na lavoura. Só que no final do século VI, os romanos passaram a usá-la também para uma máquina de tortura. Ou seja, fazem cerca de mil e quinhentos anos que, mesmo que inconscientemente, associamos o trabalho à dor. Basta olhar para as piadinhas do escritório.

Mesmo quem teve o privilégio de escolher um ofício acaba insatisfeito com seu veredicto de vez em quando. A gente abre as redes sociais e lá estão mil pessoas falando sobre o tal FOQVA, o infame “Faça O Que Você Ama”... Pronto, cá estamos nos olhando de lado pro nosso cotidiano e fazendo careta pro nosso trabalho. Essa ilusão de vida perfeita criada por nós mesmos é que acaba faz com que muita gente saia por aí querendo mudar de profissão.

Então aqui vão três dicas que eu gostaria de ter recebido antes de sair batendo cabeça por aí atrás da minha mudança profissional.

1. É melhor amar o que você faz do que fazer o que você ama.

Para ser feliz com o que você faz, não é necessário primeiro encontrar uma paixão e depois criar uma carreira ao redor dela. Na verdade, geralmente acontece o contrário.

Segundo Cal Newport, autor do livro que mais me ajudou a sair do fundo do poço de uma crise profissional em 2016, é mais eficaz buscarmos ser autônomos e competentes num ofício, dominando o campo de habilidades que escolhemos como profissão.

Quando você não está satisfeito com o que você faz, mas é realmente competente nisso, o senso de eficácia que surge a partir dos frutos do seu trabalho vai gerar uma paixão pela sua profissão.

Experiência é a chave. Na verdade, a paixão vem ao longo do tempo como uma consequência e não como causa. Porém, tudo depende da próxima dica.

2. Trabalhar para pagar as contas não basta, é preciso trabalhar para tornar o futuro melhor.

É muito importante que você busque uma oportunidade que te permita ir além de apenas uma forma de pagar boletos. É mais eficaz buscarmos uma profissão que nos faça enxergar um caminho para um amanhã melhor.

Se você estiver empregado, pergunte-se porque você está querendo mudar. Quais são as coisas que te incomodam hoje? O que você precisa buscar para viver algo diferente? Qual o real objetivo da sua mudança profissional?

Se você não estiver empregado, já sabe responder que tipo de emprego está buscando? Mesmo que as coisas estejam complicadas e você esteja disposto a relaxar suas preferências para ser capaz de pagar as contas, é muito importante que você conheça seu objetivo ideal para entender do que e o quanto está disposto a abrir mão quando uma possível oportunidade surgir.

Quanto melhor você conhecer a vaga que está buscando, mais fácil fica encontrá-la.

3. Você conhece sua missão, sua visão e seus valores?

Não é à toa que as empresas começam seus alicerces a partir dessa “santíssima trindade”. Escrever esse estatuto é uma ferramenta clássica do empreendedorismo para nortear negócios de forma clara e eficaz, mas você já parou pra pensar que isso não serve apenas para pessoas jurídicas?

Um dos fatores de sucesso das empresas é possuir um bom planejamento, mas nós também planejamos diariamente, desde os nossos estudos até as finanças e atividades familiares. Será que esse planejamento profissional das empresas não serve também à nossa esfera profissional como pessoas físicas?

Exercício: escreva seu estatuto pessoal

Você, pessoa física, conhece a sua missão, sua visão e seus valores? Essa ferramenta clássica já ajudou inúmeras empresas a decolar. Definir bem esses três pontos é essencial no processo de formulação de estratégias para mudanças profissionais. Através desse tripé será possível criar um senso de direção e oportunidades que, muitas vezes, ajuda a descobrir que a sua vaga dos sonhos pode estar mais próxima do que você imagina.

- Missão: é a sua finalidade como pessoa, a razão da sua existência

- Visão: o que você aspira ser ou se tornar no futuro

- Valores: princípios que norteiam sua conduta e que te tornam especial.

A sua missão é sua identidade

A missão de uma pessoa é uma declaração breve sobre os seus objetivos como ser humano. Ela define seu propósito, o motivo pelo qual você acorda todo dia.

Para começar a escrevê-la, responda:

- Qual a razão da minha existência? Qual o meu propósito?

- O que é mais marcante sobre mim como pessoa? O que tenho de único ou distinto?

- O que desejo que seja diferente daqui a três ou cinco anos?

- Quais são as minhas maiores qualidades?

- Quais são ou deveriam ser as minhas principais preocupações econômicas?

- Quais são as minhas prioridades?

Alguns exemplos de missões pessoais:

“Realizar meus sonhos e atender minhas necessidades de consumo, poupando tempo e dinheiro para aproveitar a vida com as pessoas que amo e superando minhas expectativas.”

“Oferecer qualidade de vida à minha família, consumir com responsabilidade e promover a sustentabilidade para o mundo onde eu vivo.”

“Melhorar a qualidade de vida das pessoas que amo estudando e promovendo inovações tecnologicamente significativas.”

Sua visão é onde você deseja chegar

Essa é uma frase que define o que você deseja para o seu futuro, o que deseja alcançar. Ao determinar sua visão, tenha em mente como você deseja ser visto e reconhecido. Comece a defini-la respondendo o seguinte:

- O que eu quero ser no futuro?

- Em que direção eu pretendo seguir?

- Como eu desejo ser reconhecido no futuro?

- Quais são as minhas “empresas dos sonhos”? Onde desejo trabalhar e porque?

- Quem são ou deveriam ser os meus principais contratantes e gestores? De quais segmentos de mercado elas são? O que valorizam?

Alguns exemplos de missões pessoais:

“Ser o melhor profissional na minha área na América Latina e consolidar minha participação no mercado internacional.”

“Tornar minha profissão acessível a todas as pessoas, oferecendo produtos, serviços e atendimento de qualidade a preços justos, me dedicando diariamente a realizar sonhos, tanto meus quanto de outras pessoas.”

“Ser reconhecido como o melhor profissional da minha área no Brasil e ser a primeira escolha para todos os meus clientes e contratante de interesse.”

Seus valores são suas ferramentas nessa jornada

Também conhecidos como princípios, os valores de uma pessoa ditam a maneira que ela se comporta para cumprir seus objetivos de curto a longo prazo — e não é à toa que missão, visão e valores formam um tripé inseparável. Esse sim, um tripalium absolutamente necessário.

É importante termos valores bem estabelecidos e amplamente reconhecidos para que nossos contratantes, clientes, gestores e parceiros profissionais acreditem e ajam de acordo com eles.

Para isso, precisamos construir valores que estejam ligados aos nossos objetivos e que sejam relevantes para aqueles que estão à nossa volta. Separei algumas dicas para te ajudar a criar e fortalecer os seus valores pessoais:

- Seja objetivo: valores devem ser breves e diretos, expressando a sua identidade pessoal em poucas palavras. Listar todos os valores que você admira e escolher os cinco que você mais valoriza vai tornar o processo de entendê-los e internalizá-los muito mais fácil.

- Diferencie-se: os valores mais especiais de cada um de nós estão justamente no que nos difere uns dos outros. O que faz uma empresa escolher entre uma pessoa ou outra quando está selecionando opções do mercado são essas diferenças. Elas também indicarão se você está trabalhando no lugar certo. Por isso, cultive valores especiais, que se destaquem dos demais. Fuja dos chavões como “respeito” e “responsabilidade” que devem ser princípios básicos de todo ser humano ou empresa.

- Dê o exemplo: a maneira mais efetiva de fortalecer os seus valores é cultivando-os no seu dia a dia. Pratique seus valores, tome suas decisões de vida baseadas neles e seja uma referência nesses aspectos, inspirando-se a implantar esses princípios na sua prática cotidiana.

Exemplos de valores pessoais:

- Agir de forma correta

- A vida em primeiro lugar

- Valorizar quem me valoriza

- Crescer e evoluir juntos dos meus

- Cuidar do nosso planeta

- Fazer acontecer

Algumas pessoas usam substantivos mais diretos:

- Paixão

- Autenticidade

- Comprometimento

- Honestidade

- Inovação

- Inspiração

Ou então, misturando:

- Inovar sempre que necessário

- Responsabilidade

- Liderar pelo exemplo

- Integridade

- Diversidade acima de afinidade

- Colaboração

- Qualidade com velocidade

Invista alguns minutos escrevendo o seu estatuto pessoal.

Se estiver em busca de uma vaga, procure empresas alinhadas com o seu estatuto pessoal. As empresas costumam trazer essas informações institucionais nas suas mídias digitais e elas são ótimos tópicos de discussão para etapas intermediárias de processos seletivos. Se já estiver trabalhando, busque conhecer os valores da empresa para a qual você trabalha hoje e pergunte-se se eles combinam.

Numa startup de tecnologia, por exemplo, os valores podem envolver inovação, agilidade e valorização do conhecimento, mas será que os valores dessa empresa estariam alinhados com os seus valores pessoais?

Acima de tudo, lembre-se: o trabalho é apenas uma parte integrante da nossa vida, um pequeno pedaço de quem somos. Quanto mais você se conhece, mais certeza terá sobre seus rumos profissionais. Quanto mais competência e experiência adquirir, mais vai gostar do seu trabalho, seja qual ele for.

Boa sorte!

Realize a sua mudança profissional com a Digital House

Agora que você viu que a transição de carreira não é nenhum bicho de sete cabeças, você está pronto para vir realizar a sua mudança profissional com o nosso auxílio. A Digital House oferece cursos que te levarão para o mundo tech em até seis meses, capacitando profissionais com aprendizado na prática e os alunos ainda contam com o Departamento de Carreiras para a realização de uma mudança de carreira mais certeira com a ajuda de profissionais.

Leia mais no blog DH:

+ Escola de marketing digital: Conheça os cursos de marketing da Digital House

+ Métricas de marketing: como defini-las em um plano de estratégia?

+ Marketing digital para iniciantes: 10 dicas de como começar na carreira