MENU

| BR

Campus

Cursos

Programas Executivos

Paises

Marketing de conteúdo: como fazer?

Marketing de conteúdo: como fazer?
#Marketing
24 de setembro - min de leitura

Provavelmente, você deve ter lido muito por aí que “conteúdo é rei”. A frase é uma das mais ditas por profissionais de Marketing nos últimos anos. Mas o que exatamente ela significa para o ambiente digital e melhor desempenho da sua marca?


O fato é que podemos dizer que atuar com conteúdo está na moda, pois este é o núcleo de grande parte das estratégias de Marketing Digital da atualidade. Até porque o consumidor já se cansou, e há muito tempo, da publicidade tradicional e a internet ajudou-o a fazer as devidas escolhas do que quer ou não consumir. A comunicação invasiva atrai cada vez menos e é preciso saber driblar essas barreiras.

Neste cenário, o Marketing de Conteúdo chega como uma alternativa para apresentar-se ao público por meio de mensagens atrativas e interessantes, que entregam exatamente o que ele está procurando.

O que é Marketing de Conteúdo?

Imagine que, após ter deixado seu e-mail cadastrado em uma rede de farmácias, você começa a receber dicas de saúde, bem-estar e outras informações que busquem uma melhor qualidade de vida e que reduzam os riscos de desenvolver doenças. O conteúdo parece ser bem interessante de receber e, até mesmo, compartilhar com mais pessoas interessadas, se comparado com um e-mail sobre preços de remédios, certo?

Outro exemplo? Uma newsletter semanal sobre maternidade, focando em informações para pais de primeira viagem, trazendo dicas de leituras, comportamento e educação infantil e, até mesmo, moda e lazer. Tudo isso promovido por uma empresa que vende produtos para bebês.

Isso é Marketing de Conteúdo! É uma forma de disseminar informações educacionais, de territórios próximos aos produtos e serviços que a empresa oferece, engajando o público interessado e, com isso, criando uma percepção positiva a respeito da marca.

Marketing de Conteúdo e Inbound Marketing é a mesma coisa?

Não exatamente, mas são dois conceitos muito bem relacionados. O Inbound Marketing, conhecido também como Marketing de Atração, é a estratégia que busca atrair clientes de maneira mais sutil, por meio de mensagens não invasivas e evitando a publicidade direta, do jeito tradicional como conhecemos, mas buscando a conversão e o aumento das vendas. Para fazer isso, o inbound marketing se utiliza de... conteúdo!

Isso mostra que o Marketing de Conteúdo está dentro da estratégia de Inbound Marketing. Sem uma estratégia de Conteúdo, ou seja, de relacionamento constante com o consumidor, falando o que ele precisa ouvir ou ler, não há uma estratégia de Inbound Marketing.

Por que criar uma estratégia de Marketing de Conteúdo?

Indo direto ao ponto: Marketing de Conteúdo é a melhor maneira de gerar credibilidade e confiança ao seu público, o que melhora a reputação da sua marca. Aliás, num mercado com cada vez mais competitividade, ganha quem for relevante e souber gerar um bom diálogo. 

Quando o conteúdo é atraente e traz informações valiosas, as pessoas gostam, pedem mais e começam, aos poucos, a pensar o mesmo sobre o seu produto. Isso vai desenvolvendo a confiança delas, o que também impacta na consideração de marca.

Além disso, a produção de conteúdo impacta diretamente na otimização da estratégia de posicionamento em sites de busca, o famoso SEO. Textos envolventes e interessantes feitos com as palavras-chave certas serão bem posicionados no Google, aumentando a quantidade de visitas ao seu site e de novos leads. A consequência maior disso tudo, é claro, é a conversão, pois ali estarão potenciais consumidores interessados em adquirir o que você tem a oferecer!

Passo a passo para uma estratégia de Marketing de Conteúdo de sucesso

Agora que você já entendeu a importância dessa estratégia, que tal aprender um passo a passo de como implementar uma no seu negócio? Aqui temos 5 pontos essenciais para garantir que seu conteúdo seja realmente relevante e gere os resultados que você deseja:

1. Estabeleça seus objetivos e metas

Tudo começa no planejamento, certo? Por isso, antes de sair produzindo conteúdo por aí, planeje suas metas. Pare e pense os porquês de se fazer uma estratégia de conteúdo (engajamento? Melhor ranqueamento no Google? Mais tráfego pro site? Mais vendas?), quem você quer alcançar, que benefícios seu conteúdo vai oferecer e como você pretende colocar tudo no ar. 

Depois de ter essa primeira parte bem definida, podemos começar a pensar nas métricas de sucesso dos seus conteúdos, que é nosso próximo passo dessa lista!

2. Conheça bem seu público e reveja a jornada do cliente

Ter uma buyer persona bem definida é essencial para saber se o conteúdo faz sentido para o público que você deseja atingir. Se você ainda não sabe quem é seu público-alvo, faça pesquisas, converse, investigue. De nada vai adiantar comunicar qualquer coisa que seja se o público não tiver interesse real nessa conversa.

Após isso, mapeie e construa a trajetória que seu target passa desde o momento inicial de contato com sua marca até a fidelização: quais canais ele utiliza, qual seu comportamento, quais dificuldades ele pode encontrar no meio do caminho, etc. Isso vai ajudar a determinar que tipo de conteúdo fazer e em qual canal impactar seu público.

3. Faça um benchmark com os canais de mais destaque em conteúdo online

Busque referências, aponte o que os sites mais consolidados têm feito, observe que tipo de conteúdo mais te agrada e por quê. E, acima de tudo, observe que ninguém ainda fez, para que o seu conteúdo seja ainda melhor do que os atuais! Aperfeiçoe sua estratégia a partir das que já são consideradas um grande sucesso.

Com isso, você já consegue definir quais tipos de conteúdos seriam mais relevantes para seu público: posts de blog ou redes sociais? E-mail marketing ou vídeos no Youtube? E-books? Podcasts? Opções não faltarão, hein!

4. Faça um brainstorming para ter ideias

Ninguém trabalha sozinho no mundo do Marketing Digital! Então, você pode contar tanto com a ajuda de pessoas próximas, apresentando suas ideias e buscando a validação delas, quanto com profissionais da área, colegas de profissão ou especialistas, fazendo um trabalho conjunto.

Não esqueça que duas cabeças pensantes são sempre melhor do que uma e, mesmo que você trabalhe sozinho, existem diversas possibilidades de encontrar boas soluções para sua estratégia criativa.

5. Defina seus KPI’s

A melhor maneira de saber se a estratégia está funcionando é mensurando os resultados, ou seja, estabelecendo os indicadores chave de desempenho, também conhecido como KPI. Se seu objetivo era aumentar a quantidade de Leads, pode observar quantos novos subscribers você adquiriu desde que a estratégia começou a rodar.

Já se, no seu caso, a meta eram vendas, veja se as conversões do período vieram por meio daquele seu último post do blog. Isso pode ser visualizado ao criar links parametrizados, o que facilita esse “rastreio” do público para ver qual caminho foi feito desde o clique no conteúdo até o final da jornada dentro do site.

Ou seja, o processo não acaba após a publicação. Bem pelo contrário, a otimização será constante e observar os resultados te ajudará a manter a estratégia sempre saudável e bem-sucedida!

Produzir conteúdo não é tão simples e, mesmo seguindo o passo a passo, nem sempre se acerta de primeira. Mas isso jamais deve ser visto como um motivo para desanimar. Manter a mentalidade de testar tudo o tempo todo é fundamental! Os acertos e erros trarão todo o aprendizado necessário para que sua marca tenha êxito na estratégia de conteúdo. Acredite e vá em frente! Boa sorte!

Outras notícias

Como a Transformação Digital proporciona o trabalho fora do escritório img
#UX
#Marketing
#Carreira
#Tecnologia
#Dados

Como a Transformação Digital proporciona o trabalho fora do escritório

Acompanhe este artigo e entenda como o uso do ferramental disponível nos ajuda a ter mais domínio das demandas de mercado, que formatam novos modelos de negócios, tendo o trabalho fora do escritório como um de seus pilares principais.O sacode a poeira da Transformação DigitalQuando ainda era uma opção aderir à Transformação Digital, já sabíamos de seus benefícios em otimização e competitividade, mas os mercados ainda tinham o pé atrás em uma de suas características como o trabalho fora do escritório, por uma série de fatores que vão de infraestrutura até questões culturais.A conectividade se restringia ao uso massivo de aplicativos via smartphones para comunicação entre as equipes, com implantação de alguns apps de serviços em setores como transporte, alimentação, hospedagem, entre outros.Hoje, todos estes mercados são obrigados a aderir à comunicação online e trabalho fora de casa para sobreviver. Inclusive, dois dos maiores players de soluções de videoconferência, o Google Hangouts e o Microsoft Teams, até liberaram diversas funcionalidades, até então somente disponíveis nas versões pagas, para versões gratuitas.Mesmo no meio do vendaval de mudanças, reflita como será o mundo corporativo, após o controle da pandemia, depois desta nova forma de trabalho ser integrada às rotinas normais e gerar resultados positivos?Esse período pode mudar perspectivas tradicionais. Lembra daquela palavrinha quase batida, o tal disruptivo. Então, olha a prática dela aí, no exercício da vivência na Transformação Digital e da chegada definitiva das novas profissões. Ou seriam dos novos profissionais?Gerenciamento sem caos - dos males o menor Pensamento positivo. Hoje temos a possibilidade do trabalho remoto. Com organização e ajuda de ferramentas que otimizem a rotina do trabalho fora do escritório, ele pode, sim, tornar o dia muito mais produtivo para as pessoas que se reinventam.Com um mindset digital criativo e ousado, é possível se manter competitivo em meio da crise, liderando projetos e pessoas. E a Digital House, que ministra cursos com as principais habilidades exigidas pelo mercado ( e que espera que você esteja se cuidando e seguindo as orientações de prevenção ao COVID-19), coloca luz e direcionamento para você que quer aderir a esta nova perspectiva e postura.Aprenda com nossos professores especialistas de mercado, ou mesmo atualize conceitos como: Cultura Digital e Discovery, Transformação Digital, Metodologias Ágeis, Experiência do Usuário (UX), Estratégias de Marketing Digital, Data Analytics, Data Science e LGPD.Inscreva-se no curso de imersão em Transformação Digital, atualmente apenas no formato online, e faça do desafio a oportunidade. Mais que frase de efeito, esta atitude é que salvará mercados e empregos. Vem conosco, estamos todos juntos nessa, embora separados!

Melhores ferramentas de gestão de projetos: como ter uma visão do todo em momentos de trabalho remoto img
#UX

Melhores ferramentas de gestão de projetos: como ter uma visão do todo em momentos de trabalho remoto

Nossa pretensão aqui não é ser nenhuma mãe Dinah (que Deus a tenha) ou guru, mas já podemos considerar que um dos marcos da era da Transformação Digital é a adesão do home office por parte da população, mesmo que “forçada”, por medidas de contenção ao alastramento da pandemia do coronavírus.E, nesta fase de adaptação para muita gente, ter uma gestão de projetos mais eficiente, com visão panorâmica das demandas e prazos, mesmo que esta prática seja no meio da sua cozinha, pode render ótimos resultados para suas entregas, agenda e saúde mental.Inovar muito além do techOutro recado desta era é que a supertecnologia XYZ de nada adianta se as pessoas que a utilizam ainda pensam analogicamente, com processos lentos de desenvolvimento de produtos e serviços, burocracia e morosidade nas aprovações. Ainda bem, as ferramentas de gestão de projetos vêm justamente para descomplicar estes modelos engessados.E é agora ou nunca que isso precisa ser feito. Por isso, trace um plano para esta fase dar tudo certo, no seu microcosmo, com o objetivo de trazer excelentes resultados para o macro, incluindo clientes e sociedade. Pois, ser competitivo e evoluir em época de crise é inovar e bem inovado, diga-se de passagem.A caixinha de pandora da gestão de projetosEntre as melhores ferramentas para gerenciar seus projetos,  podemos citar três principais:     > Metodologias ágeis (Scrum x Kanban x Agile x Lean): essa metodologia descomplica o que parece um bicho de sete cabeças, com técnicas e metas que integram equipes, promovendo mais engajamento de todos.     > Experiência do Usuário (UX, User Interface (UI) e Design Thinking): estas técnicas  vão aproximar seu trabalho, tendo uma visão 360 graus do que seu cliente mais deseja, humanizando esta relação e trazendo o encantamento tão necessário nestes tempos que vivenciamos.     > Marketing Digital: facilitar e automatizar seu dia a dia, por meio de ferramentas como Google Ads, Facebook Ads, Analytics e muito mais, trazem resultados quantificados aos seus clientes ou a sua própria empresa, já que impulsionam a marca e geram mais vendas e negócios, tão essenciais desde sempre, não é mesmo?Estas são apenas algumas destas ferramentas. Mas, esta caixinha de soluções pode ser muito mais completa. A Digital House, umas das mais importantes escolas de habilidades digitais do planeta, com um time fera de especialistas, não só ajuda você a desenvolver estas ferramentas como ensina a utilizá-las em época de pandemia e fora dela.Com cursos agora totalmente onlines, a Digital House fará com que você seja protagonista, neste talvez primeiro grande desafio da era da Transformação Digital, para pessoas e organizações - líderes conectados, na prática, com as mudanças, na velocidade em que elas ocorrem.

O que são OKRs e por que elas são importantes img
#Marketing

O que são OKRs e por que elas são importantes

O negócio é que quando se ouve falar em siglas de metodologias do futuro, sua aplicação para pequenos e médios empresários são interpretadas com insegurança, na linha fina entre o crível e os planos infalíveis do Cebolinha. O que é perfeitamente compreensível. As justificativas para este temor vão além de não estar preparado ou nem saber por onde começar. A economia no Brasil é historicamente instável e, nos últimos dias, enfrentamos uma situação inédita de pandemia, o que torna a assimilação de novos processos um bicho de sete cabeças. Mas, credibilidade as OKRs têm e bem comprovadas, diga-se de passagem. Exemplo-mor são profissionais do Google, quando ainda eram simples mortais e implementaram a metodologia, independentemente do tamanho da empresa na época. E olha o resultado aí, escancarado em uma das janelas abertas neste momento, no seu PC ou dispositivo. Um por todos e todos por um Parafraseando os mosqueteiros franceses, as OKRs trabalham bem o conceito de sua frase famosa - um por todos e todos por um. Esta metodologia nada mais é que um conjunto de objetivos inter-relacionados, alcançados de forma individual ou coletiva, e que contribuem para a melhoria e evolução de toda a organização. Nesta metodologia, cada um reconhece a parte que é responsável na empreitada. Sabendo o quão vital é seu trabalho, o profissional entende seu escopo, metas e direciona seus esforços assertivamente, não gastando energia de besteira. OKRs, então, trazem mais produtividade e autoestima aos funcionários, o que impacta positivamente naquela questão difícil chamada falta de motivação. Mais produtividade com consciência de valor, todos ganham Mas, para essa corrente do bem das OKRs, citadas anteriormente, dar certo, é necessário que os objetivos estejam muito claros entre todos (todos mesmo) os envolvidos. Estes objetivos precisam ser quantificados, com números, ou seja, metas estipuladas e acompanhadas. Por exemplo, segundo o Sebrae, cada pessoa deve possuir, no máximo, 5 objetivos macro com 4 resultados-chave para cada um deles. Outro ponto é que ao menos 60% dos objetivos devem ser definidos pelo próprio profissional que trabalhará neles. Nos modelos tradicionais, metas são traçadas de cima pra baixo, parte das vezes, acertadas em reuniões de diretoria, sem envolvimento de todo o grupo de funcionários. Já nas OKRs, 40% poderão ser definidos pelo alto escalão da empresa, enquanto 60% serão desenhados por cada indivíduo envolvido, seja qual for seu cargo. Como todos estão por dentro do processo de elaboração de objetivos, os resultados são muito mais ágeis. Na Digital House, principal escola de habilidades digitais da América Latina, sabe-se bem da importância e eficiência das OKRs, tanto que esta metodologia é ensinada, na prática, em nosso portfólio de cursos. Transformamos profissionais e empresas, por meio da tecnologia aplicada. Aqui também seguimos o conceito de Athos, Porthos, Aramis, integrando D´Artagnan. Faça parte da elite dos profissionais mais requisitados do mercado e inscreva-se em nossos cursos (excepcionalmente por EAD, neste período de contenção da pandemia do coronavírus).