Introdução e boas práticas em UX Design: guia completo

Boas práticas em UX Design

Você, com certeza, já ouviu falar da importância da introdução e boas práticas em UX Design para as empresas, não é mesmo? User Experience (experiência do usuário) tem sido um dos termos mais falados e implementados quando os negócios pensam em sua autoimagem, na fidelização de seus clientes e no aumento da conversão de vendas.

Hoje, vamos explicar alguns pontos que fazem com que os clientes gostem mais de uma determinada marca do que outra, dando respostas mais eficazes para o processo de desenvolvimento de um projeto de produto ou interface digital. Se você ainda não descobriu como a introdução e boas práticas em UX Design influenciam o sucesso das grandes empresas, recomendamos que acompanhe essa leitura.

Entenda o conceito de UX Design

User Experience, experiência do usuário ou UX Design é uma área da tecnologia que possui o objetivo de garantir a melhor experiência dos clientes com algum produto ou serviço.

Para que isso aconteça, o processo de desenvolvimento inclui pesquisa, entendimento da necessidade, dor, habilidade e limitação dos seus usuários e deve estar alinhado com os objetivos da marca, para desenvolver produtos e/ou serviços e tomar decisões que valham a pena tanto para a empresa quanto para os seus clientes.

É por isso que cada vez mais organizações procuram se adaptar à introdução e boas práticas em UX Design, pois é muito mais do que o desenvolvimento do produto ou serviço em si, as suas funcionalidades ou como as pessoas interagem, mas também uma pesquisa aprofundada de mercado, a interação das pessoas com a marca desde o processo de venda, a utilização em si e o pós-venda. Ou seja, toda a jornada do usuário faz parte do UX Design.

Entenda ainda mais sobre essa importância, conferindo um artigo que escrevemos especialmente sobre isso. Clique aqui para conferir.

Qual é a diferença entre UX e UI Design?

Com a explosão de UX Design no mercado, é muito comum as pessoas falarem e abrangerem o termo UX Design para as “telinhas bonitinhas” dos sites e apps. No entanto, dentro do campo de User Experience, temos também a parte de UI Design.

De maneira breve, o UX está ligado à parte estratégica do negócio, ou seja, o design centrado no usuário, onde as pesquisas são realizadas para identificar suas necessidades, as personas desenvolvidas a partir do público-alvo, entre outras demandas.

Por outro lado, o UI designer faz a ponte entre o usuário e o negócio, e o seu campo de atuação refere-se à interface visual desenvolvida nas telas. Para entender melhor essas diferenças e as vantagens de trabalhar com essas duas áreas de maneira simultânea, confira o artigo que escrevemos. Clique aqui.

O que faz um profissional de UX?

É importante saber que dentro da área de UX Design existem atuações específicas em todo o fluxo de desenvolvimento. Cada uma dessas atribuições possui diferentes responsabilidades e habilidades, que exigem perfis distintos de profissionais.

Sendo assim, se você possui interesse em ingressar na área, há a possibilidade de se aperfeiçoar em um campo, dentro da área de UX, que mais te interessa. Confira quais são eles agora mesmo:

• Profissional que realiza pesquisas, conduzindo entrevistas e testes.

• Análise dos dados quantitativos e qualitativos das pesquisas.

• Desenvolve personas, proto personas, jornadas do usuário e protótipos.

• É responsável por comunicar os resultados para os demais envolvidos no desenvolvimento do produto digital.

• Com as informações das pesquisas e testes com usuários, o profissional cria mapas que representam a hierarquia do conteúdo nas interfaces.

• Desenvolve modelos e fluxogramas.

• Elabora protótipos e cria templates.

Desenvolvedor UI/UX

• Desenvolve as interfaces, trabalhando com códigos e linguagens de programação.

• Atua lado a lado com os designers, nas ideias e identificação de problemas em potencial nas interfaces, pesquisando possibilidades e possíveis limitações.

• Desenvolve protótipos.

• Soluciona dificuldades técnicas na experiência do usuário.

Analista de Usabilidade

• Atua junto aos UX researchers, na condução dos testes de usabilidade.

• Realiza inspeções de usabilidade, identificando problemas e propondo soluções.

• Constrói as observações e insights durante as ações.

• Desenvolve protótipos e wireframes.

• Atuando ao lado dos UX researchers, este profissional deve entender quem são as personas e quais as suas necessidades.

• Escreve textos para toda a interface de interação do usuário, construindo uma narrativa que tenha coerência em toda a jornada do cliente.

Product Designer

• Este profissional está envolvido em todo o processo e com todas as funções acima, tendo habilidades tanto de UX Design quanto de UI Design.

• Entendimento de negócios e metodologias específicas de trabalho, como Lean UX e Design Thinking.

Sabendo de todas as opções de carreira, é importante ter ciência de que o universo de UX é composto de diversos termos que podem causar dúvidas para quem está imergindo e aprendendo sobre essa jornada. Não deixe de conferir o artigo que produzimos sobre isso, clicando aqui.

E se você possui dúvidas sobre a área e quer ter a certeza de que UX é para você, assista ao vídeo abaixo:

Mercado de trabalho em UX Design

De acordo com um estudo realizado pela Nielsen Norman Group (NN/g), a área da experiência do usuário está em um processo constante e intenso de crescimento. A previsão é de que, em 2050, o mercado tenha cerca de 100 milhões de profissionais envolvidos com os processos de UX dentro das empresas.

Isso porque cada vez mais as organizações estão passando a compreender que o UX Design é o primeiro passo necessário para qualquer estratégia que busque agregar valor ao negócio. Saiba como elas o aplicam no dia a dia, conferindo o vídeo abaixo:

Um ponto importante também a se destacar é que, mesmo em meio à realidade pandêmica, iniciada no começo de 2020, o mercado de UX Design não parou de crescer. Com o isolamento e quarentena das pessoas, grande parte das empresas teve de adaptar seus produtos e serviços ao mundo digital.

Para realizar isso da melhor maneira, contrataram profissionais de UX, além de product managers para efetuar essas transformações de maneira assertiva.

Se você quer saber ainda mais sobre o panorama do mercado de trabalho em UX Design, acesse o conteúdo que desenvolvemos sobre o tema, clicando aqui.

Quais são os principais benefícios?

Quando falamos nos benefícios da introdução e boas práticas em UX Design, é necessário pensar em dois pontos de vista: a do usuário e do negócio, onde ambos têm a ganhar com esse processo.

Do ponto de vista do usuário, a importância do UX Design é muito clara. As pessoas buscam ter boas experiências quando escolhem um produto ou serviço para consumir. Isso deve incluir a facilidade de uso, a solução de problemas e a sensação de bem-estar, desde o primeiro contato com a marca até o pós-venda.

Falando do ponto de vista do negócio, o UX também traz diversas vantagens. Confira:

Fidelidade do usuário

Uma boa experiência do usuário com um determinado produto ou serviço pode construir a lealdade entre o cliente e sua marca. Um aplicativo ou site que oferece uma interface simples, com funcionalidade fácil e apoiado por um ótimo serviço, fará com que seus usuários retornem repetidamente.

Desenvolvimento da imagem da marca e da empresa

Este é um dos principais objetivos para qualquer organização, não é mesmo? Um processo de UX bem aplicado no desenvolvimento de produtos digitais estimula a fidelidade do usuário, como abordado no item anterior, e contribui para uma melhor reputação da marca e da empresa no mercado.

Proporciona meios de mensurar resultados

Ao aplicar as estratégias de UX dentro da empresa, é possível ter a dimensão do retorno dos investimentos, seja de tempo, dinheiro e esforço da equipe nos projetos de desenvolvimento de produtos. Os resultados deixam de ser pouco tangíveis e se tornam realísticos, alinhando as métricas e indicadores com os objetivos do planejamento realizado por meio de muita pesquisa.

Aumento da receita e diminuição de custos

Oferecendo uma boa experiência aos usuários, conquistamos a fidelidade do mesmo, além das chances maiores de prospecção para novos clientes, fazendo com que haja o aumento da receita.

Além disso, com um bom planejamento de estratégias de UX em um negócio (que inclui todas as informações de pesquisa, além da prototipagem e testes de usabilidade), é possível controlar todos os gastos de desenvolvimento, buscando sempre se manter dentro do orçamento e usando sabiamente seus recursos internos.

Boas práticas em UX Design

Finalmente chegamos nas principais práticas de UX Design, que fazem parte de uma boa rotina aos profissionais e empresas. Confira agora mesmo:

1) Teste, teste e teste de novo!

Testar a usabilidade de um produto no processo de UX é uma ação constante e necessária para a validação de todas as ideias do projeto. Não tenha medo de testar! E saiba que mesmo os planejamentos mais detalhados e complexos são passíveis de erro. O importante é estar pronto para todos eles!

2) Pense Mobile First

Diversos veículos e estudos já explicaram e comprovaram que, no Brasil, o celular é mais utilizado que o computador para acessar a internet. Este é um dado muito importante e não dá para ser ignorado. Portanto, as marcas devem pensar que o seu usuário está sempre conectado e com a expectativa de um bom serviço nos dispositivos móveis em sua rotina diária.

3) Uma boa performance é essencial

Sim, a velocidade de um site é um fator que conta muito para uma boa experiência do usuário! De acordo com um infográfico da Kissmetrics, 40% dos visitantes abandonam sites que demoram mais de 3 segundos para carregar e cada 1 segundo no tempo de carregamento de uma página web reduz, em média, 7% das conversões. São dados que contam muito, não é mesmo?

4) Use hierarquia para facilitar a navegação do usuário

Ao realizar a arquitetura da informação, é necessário pensar na relação e organização de itens, palavras, imagens e demais elementos de uma página. Tudo deve ser pensado estrategicamente, para trabalhar com o lado intuitivo dos usuários, permitindo que ele consiga atingir seus objetivos facilmente.

5) As cores são importantes sim!

Quem entende sobre psicologia das cores, sabe que muitos estudos comprovam que o nosso cérebro transforma a percepção das cores em diferentes sensações e/ou emoções, como revela a pesquisa, 93% das pessoas prestam atenção no aspecto visual antes de decidirem consumir determinado produto ou serviço de uma marca.

6) Nunca deixe de estudar

UX Design é uma área repleta de conceitos, técnicas e atualizações frequentes, haja vista que a tecnologia, em paralelo, também nunca para de avançar. Neste contexto, ler bons livros é muito importante para o profissional. Confira o conteúdo que escrevemos sobre o assunto, com as principais dicas de obras da área.

Neste contexto, você já deve ter ouvido falar que cores quentes tendem a manifestar determinados sentimentos, assim como as cores frias e neutras transmitem outras sensações. Portanto, quanto mais se aprofundar no conhecimento de quem é a sua persona, você terá mais chances de alinhar as expectativas dela em relação ao visual da sua marca, oferecendo a melhor experiência em todos os sentidos.

Como começar em UX Design?

Agora que você já sabe os principais benefícios e atuações dentro de UX, deve entender também que realizar um curso na área é uma ótima opção para ingressar na carreira, adquirindo uma base sólida de conhecimentos.

Na Digital House, temos o curso de Experiência do Usuário (UX). Além de ensinar todo o processo de desenvolvimento nas empresas, as aulas também abordam as diferentes funções de forma detalhada, tornando possível a especialidade ao aluno.

Além disso, todos os alunos podem participar do programa de apoio à recolocação (gratuito), além de feiras de recrutamento exclusivas (Recruiting Day). Inscreva-se e impulsione sua carreira profissional agora mesmo!


Saiba outras grandes dicas para ingressar na área de UX Design, conferindo o conteúdo que desenvolvemos sobre o assunto.