Como acertar seu público em cheio: insights sobre audiência dentro de mídia paga

Como acertar seu público em cheio: insights sobre audiência dentro de mídia paga

De acordo com a pesquisa AdSpend 2019, realizada pela IAB Brasil, as empresas investiram, em 2018, cerca de R$16 bilhões em mídias digitais. Se olharmos a proporção entre o investimento online e offline, porém, isso ainda é pouco: o mesmo estudo revelou que apenas 33% do investimento em mídia das empresas é feito em canais digitais no país. Por isso é tão importante falarmos sobre insights de audiência.

Além de ser onde o grande parte do público está - principalmente durante a pandemia, quando a presença e transformação digital alcançou um crescimento considerável -, o meio online ainda apresenta a vantagem de gerar dados em tempo real para as marcas usarem de insumo nas suas decisões publicitárias.

A informação é a base da mídia digital, afinal, por meio dela são configuradas as campanhas, que por sua vez geram mais dados que servem de insights para as empresas e, para fechar o ciclo, funcionam como métricas para entender o sucesso dos anúncios.

Nesse post vamos explicar como tirar insights sobre a audiência em cada uma das etapas das campanhas de mídia paga. Confira:

Por dentro dos insights de audiência em mídia paga

Planejamento

Por meio da mídia programática as empresas podem configurar onde, quando e para quem querem que seu anúncio seja vinculado. Essa decisão é tomada a partir de dados dos consumidores a fim de tornar a distribuição de criativos mais inteligente e estratégica.

Os negócios podem usar uma Customer Data Platform (CDP) para reunir todas as informações de interação dos consumidores com a marca, tendo assim, em um único lugar, dados sobre os clientes do negócio que podem ser acessados por meio de um dashboard personalizável — facilitando o entendimento das informações.

Os negócios podem usar também uma Data Management Platform (DMP), que reúne dados para possibilitar segmentações de acordo com o perfil de público desejado pela marca. A DMP também pode ajudar as empresas a entenderem melhor o comportamento online dos consumidores a fim de gerar insights para o planejamento da campanha. O maior diferencial da DMP é que ela pode ser integrada com grandes bancos de dados a fim de trazer um perfil mais amplo.

Ativação

Depois de usar os dados para gerar insights sobre o direcionamento das campanhas, eles podem ser ativados a partir de um software chamado Demand Side Platform (DSP), onde é possível acessar o inventário de mídia online e configurar a campanha, para poder participar dos leilões em tempo real.  Com isso, as marcas podem escolher em configurar um perfil de consumidor e distribuir os criativos em sites mais acessados por ele; determinar uma lista de sites para publicar o criativo; apenas mostrar a campanha quando pessoas de determinado perfil entrarem nos sites; ou ainda fazer retargeting.

Enquanto a campanha está rodando é possível analisar os dados para ter insights de qual meio está gerando mais conversões, qual gera maior engajamento, fazer testes A/B para entender os elementos e gatilhos que chamam atenção do consumidor, entender se a segmentação é adequada, descobrir o perfil de comportamento do público, entre outros.

O importante é sempre analisar os resultados das campanhas em tempo real para poder tirar o máximo de informação possível que ajude o negócio a otimizar suas novas campanhas.

Análise

A etapa final é concentrada em olhar para os dados e tirar lições dele. Quando o criativo chegar no fim de seu ciclo, é possível reunir todas as informações sobre as métricas (cliques, impressões, engajamento, CTR, CAC, ROI,..) para entender o sucesso da campanha e confirmar algumas hipóteses, a fim de melhorar as próximas divulgações. Por exemplo: um anúncio sobre sapato masculino em um site de esportes pode ter se saído pior do que o mesmo anúncio em um site de notícias, sendo que no primeiro a maior parte dos cliques foi de homens entre 25 e 35 anos e, no segundo, de homens de 40 a 50 anos. Com as informações demográficas somadas ao entendimento dos gostos e comportamento do público, o próximo criativo pode ser mais assertivo e estratégico.

Além das métricas é importante analisar o público que interagiu com a campanha e comparar se ele é o mesmo delimitado durante a fase de planejamento, assim é possível sempre estar um passo à frente da audiência, entendendo seu comportamento e mudança de perfil a fim de impactá-la de forma estratégica.

Tenha parceiros

A análise de dados nas campanhas de mídia paga são de crucial importância para um marketing verdadeiramente estratégico que impulsione o negócio e otimize os custos. Mas isso deve ser feito em compliance com a LGPD e regulamentações do setor. Contar com parceiros como a Tail, que oferece as ferramentas ideias para um marketing data-driven, facilita a adequação às leis e garante segurança no processo de tirar insights dos dados. Conheça as soluções.