Habilidades importantes para um desenvolvedor front-end

Habilidades importantes para um desenvolvedor front-end

O desenvolvedor front-end é o profissional com a tarefa de dar vida à interface. Para isso, ele precisa dominar toda a parte da aplicação que interage diretamente com o cliente, ou seja, lá na ponta.

Então, para ser um desenvolvedor front-end web, é primordial o conhecimento em técnicas de experiência do usuário (UX). Afinal, essa pessoa é a escolhida para aproximar o cliente, na hora e no momento certo.

Para você que deseja trabalhar com programação web front-end, mas nem sabe por onde começar, a gente preparou este artigo para te ajudar.

O que faz um desenvolvedor front-end?

A Transformação Digital leva mais e mais empresas a criar e integrar aplicações digitais aos seus serviços. Como consequência, aumentam contratações de desenvolvedores de interfaces mais eficazes, na hora do vamos ver, ou seja, da interação com o usuário final.

Em programação web, há dois campos: o back-end e front-end. Enquanto o primeiro cuida do que ocorre por trás de uma aplicação (servidores e banco de dados), o desenvolvedor web front-end implementa a interface que será rodada para o cliente.

No segundo caso, ele basicamente codifica as interações com o usuário, o layout da interface e cuida da comunicação do cliente para o servidor. Para isso, e dependendo de seu nível, ele se apoiará no conhecimento em:

➜ HTML: nível básico - estrutura e tags. Intermedíário e avançado - Semântica e Acessibilidade;

➜ CSS: nível básico - propriedades básicas. Intermediário - propriedades avançadas do CSS3, Design Responsivo, funcionamento de grids e noção de frameworks. Avançado - Entender pre-processadores e suas funções, conceitos avançados de arquitetura ( BEM, Organic, Atomic);

JavaSript: nível básico -  pequenas noções, chamadas de scripts prontos. Intermediário - entendimento da linguagem, noções de orientação a objeto. Avançado - conhecimento forte na linguagem, entender algumas arquiteturas e testes, design patterns;

➜ Conhecimento em photoshop: recortes, cores, fontes;

➜ Noções de performance e SEO;

➜ Conhecimento em UX/UI.

+ Veja as principais linguagens de programação para iniciantes

Essa é parte do cardápio de um bom profissional desta área, o que justifica sua alta procura por empresas de todos os tamanhos, de grandes indústrias a pequenos varejos.

Afinal, todos precisam de uma plataforma digital bacana, objetiva e que seja um bom canal de venda, ainda mais quando parte da população mundial passa por este distanciamento físico, gerado pela pandemia.

Só para citarmos números, o levantamento do GetNinjas, aplicativo voltado à contratação de serviços, aponta que a demanda por desenvolvedores cresceu 92% entre os dias 29 de março e 4 de abril de 2020.

Exemplo prático dessa oferta, a Cplataforma profissional Catho, traz uma média de 500 vagas à espera destes profissionais, com salários na média de R$ 3.000 a R$8.000, dependendo do nível de conhecimento deles.

Estudo + prática +  absorção de conhecimento = melhor satisfação do usuário

Nem só de códigos vive um bom desenvolvedor de front-end. Afinal, no dia a dia, eles decodificam em experiência as mensagens que aquele produto ou serviço quer trazer.

Aí que as soft skills aparecem na jogada, como facilitadoras de todo este processo. Autocrítica, resiliência, colaboração e trabalho em equipe são ótimos exemplos de qualidades essenciais para este profissional, ainda mais no contexto atual, de trabalho remoto e mudanças comportamentais nos consumidores.

Preparada para este novo normal, mesmo antes de ele chegar, a Digital House tem um portfólio completo de cursos voltados à área de programação e desenvolvimento, front-end e back-end. Conheça mais sobre os cursos, veja como é possível criar sites e fazer toda a magia, de ponta a ponta, acontecer.