Introdução ao GitHub: como funciona a plataforma e suas principais funções

Introdução ao GitHub: como funciona a plataforma e suas principais funções

Conhecer o GitHub, sistema colaborativo muito utilizado pelos desenvolvedores para programar em equipe, é um passo fundamental para quem está começando na programação.

E antes de falar mais sobre esta plataforma de hospedagem de código-fonte, deixamos este artigo sobre a programação criada em conjunto, um hábito que só cresce:O futuro é colaborativo: como programar em equipe”.

Voltando ao assunto, podemos chamar o GitHub de plataforma de gerenciamento de projetos de open source, mas não só isso. Entre as redes sociais, ele foi criado, pensando em desenvolvedores e permitindo que eles se conectem rapidamente em projetos colaborativos mais assertivos.

O que é e para que serve o GitHub

Explicando o termo Git

Sabe aquela notificação que você recebe para que o seu aplicativo seja atualizado? Pois é, nós podemos usar essa situação para explicar o sistema de controle de versão do Git.

Mesmo depois de um projeto ter sido lançado, o código-base passará por modificações. Na prática, isso significa atualizações de versões, correção de bugs, novas funções, entre outras correções.

Por meio dele, é possível acompanhar qualquer alteração e quem a efetuou, além de permitir a restauração do código removido ou modificado.

Explicando o termo Hub

Entender o que significa o Hub é mais fácil de explicar a sua função na informática. O Hub, conhecido como concentrador, é um aparelho que serve para conectar computadores a uma rede e compartilhar informações.

Lembra quando falamos que a plataforma também é uma rede social?

Então, o Hub é quem cria as conexões entre profissionais de programação de qualquer lugar no mundo, permitindo a socialização de pessoas com os mesmos interesses, podendo segui-las, acompanhar o que fazem e com quem se comunicam.

Principais características do GitHub

Para começar a se familiarizar com a plataforma, você precisa entender quais são as principais funções, então vamos lá:

Repositório: onde os seus arquivos (códigos, imagens, áudios etc) ficam armazenados, com as opções de depósito do próprio GitHub ou no seu computador;

Branch: cópia do diretório para desenvolvimento isolado, que não afeta o repositório central ou outros branches. Depois de concluir o seu trabalho, você pode combinar o seu branch isolado com outros branches por meio de uma merge, utilizando o Pull Request.

Pull Request: é quando você informa que irá implantar as mudanças no seu branch ao repositório máster, podendo ser aceito ou negado pelos colaboradores. Além disso, é possível revisar e discutir seu trabalho com os demais.

Forking: é a criação de um novo projeto com base em repositório existentes, fazendo as alterações necessárias e armazenando a nova versão como um novo repositório.

Para entrar no GitHub é preciso criar uma conta individual ou para a sua equipe, preenchendo os dados solicitados. Você pode optar pela opção gratuita ou paga. A última conta com algumas vantagens como repositórios privados.

Se você está interessado em saber mais sobre como usar o GitHub, a Digital House tem os cursos ideais na área de programação que ensinam o uso de diversas ferramentas deste universo e que facilitam seu dia a dia de programador.

No curso de Desenvolvimento Web Full Stack, você aprende a programar do zero, já no curso de programação Android, nossos professores especialistas te ensinam a criar um app completo, sendo que também temos um curso de programação para iOS. Eaí, quer começar uma carreira de desenvolvedor ou se atualizar? Conte com a gente!