Futuro do trabalho: quais características movem o novo profissional

 Futuro do trabalho: quais características movem o novo profissional

De acordo com pesquisa do Gartner, ligadas ao futuro do trabalho, até 2022, aproximadamente 60% dos trabalhadores híbridos, ou seja, que atuam em home office e nos escritórios, vão priorizar o trabalho a partir de espaços corporativos inteligentes.

Isso inclui não só tecnologias. Envolve saúde, bem-estar e segurança dos funcionários. Uma evidência de que o futuro será muito além do digital.

E é justamente nesse ponto que nossa professora e especialista em carreiras, Neivia Justa, convida você a refletir nesse artigo sobre o futuro do trabalho em plena Era da Transformação Digital. Ou seja, com esta locomotiva de inovação, andando a todo o vapor.

Acompanhe as próximas linhas e faça esta imersão, uma viagem inspiracional sobre a evolução da Industria 4.0 no Brasil e como o lado humano entra nessas mudanças.

Futuro do trabalho - habilidades digitais e humanas

As máquina só evoluem pois há seres humanos programando elas para que isso aconteça. Logo, não é errado pensar que nossa capacidade de co-criar evolui na mesma velocidade dos mais recentes e incríveis inventos sobre Inteligência Artificial.

Quem capacita todo este aprendizado das máquinas é o humano.

Porém, há uma inteligência exclusiva da nossa espécie. Neiva explica que quanto mais desenvolvermos e utilizarmos nossas habilidades humanas, relacionadas à capacidade de sentir, pensar, nos conectar e transformar a realidade, mais competitivos nos tornaremos neste novo mercado de trabalho.

“Eu acredito que o futuro é digital, mas, principalmente, que o futuro é humano".

A tecnologia vai, sem dúvida, automatizar todo trabalho repetitivo, que não requer nossas habilidades cognitivas e socioemocionais,aquelas que fazem de nós pessoas únicas, distintas e nos diferenciam dos robôs”, afirma.

O perfil do profissional do futuro

“Você tem um propósito? Ou ainda acha que veio ao mundo a passeio? O que inspira suas escolhas? Segue um código de ética e conduta?Que valores você não negocia? Faz uso da sua presença e dos seus sentidos para perceber e entender a realidade a sua volta?”.

Esta chuva de perguntas ajuda em uma auto-análise, na qual coragem, criatividade, inovação, flexibilidade, curiosidade e agilidade são necessárias. Por isso é importante desenvolver soft skills.

Neivia ainda avança, com perguntas mais provocativas ainda. Agora tire o foco do seu infinito particular e responda com sinceridade.

➜ Você gosta de gente e confia nas pessoas?

➜ Sabe observar e ouvir?

➜ Faz escuta ativa, comunicação não violenta e inclusiva?

➜ Promove a diversidade na sua vida?

➜ Tem empatia por aqueles que são diferentes de você, ou vive na sua bolha elitista e privilegiada, só convivendo com pessoas semelhantes e excludentes?

➜ Você percebe e combate o machismo, o racismo, a homofobia e todo tipo de preconceito que existe em você?

➜ Consegue transitar, ressignificar, revolucionar, mudar, desaprender o que não te serve mais e aprender coisas novas continuamente?

Pois bem, não tem problema se você ainda está arquitetando uma resposta interna para a lista. Esta é uma autorreflexão profunda, mas que remete às habilidades do profissional do futuro.

Qual o futuro do mercado de trabalho?

“Aos meus olhos, profissional do futuro é quem conseguir integrar as características maduras do poder feminino (empatia, gentileza, inclusão, criatividade, confiança, vulnerabilidade, harmonia) com o poder masculino (clareza, assertividade, foco, direção, ordem, disciplina, estrutura, força e convergência), que há em cada um de nós. Você é o que você faz da humanidade que há em você. Pense nisso.”, finaliza a especialista.

E, com este potencial utilizado, somado às habilidades digitais, o céu não será o limite para sua carreira. Para complementar esta soma, conte com a Digital House. Temos uma grade de cursos focados nas novas profissões que abrangem estas habilidades, ensinadas por profissionais altamente capacitados, como a nossa professora Neivia Justa.

(*)Por Neivia Justa - professora da Digital House, Top Voice do Linkedin Brasil 2018, vencedora do Troféu Mulher Imprensa e do Prêmio Aberje 2017. Executiva de comunicação e diversidade & inclusão, jornalista, palestrante, professora e criadora do Movimento  #ondeestãoasmulheres, ela trabalha para transformar o mundo num lugar melhor para as futuras gerações.