Quais são as principais tendências do design de experiência para os próximos anos?

Quais são as principais tendências do design de experiência para os próximos anos?

Em um mercado repleto de diferentes marcas, trabalhando com os mesmos produtos, serviços e público-alvo, o design de experiência acaba se tornando o diferencial para, mesmo assim, gerar mais leads e fidelizar os clientes atuais.

Acompanhe este artigo e veja quais são as principais tendências do design de experiência para os próximos anos.

O que é e qual o foco do design de experiência?

Antes de falarmos sobre as tendências, vamos introduzir o assunto para quem é novo neste universo. O design de experiência é um conjunto de métodos aplicados no desenvolvimento de um produto ou serviço, a fim de entender o comportamento do usuário durante sua jornada de consumo.

É um campo estratégico que busca o encantamento e fidelização de clientes e, como consequência, o impacto nos resultados com o aumento das vendas e do lucro do negócio.

No cenário atual, onde a tecnologia diminuiu a exclusividade da oferta de produtos e serviços, aumentando a competitividade de mercado, as empresas estão apostando em outras maneiras de se diferenciar dos concorrentes, focando no consumidor e aplicando o design de experiência.

Não basta apenas oferecer as soluções que os consumidores precisam, mas também compreender como ele pensa, o que o agrada e satisfaz, qual o seu estilo de vida, entre outros questionamentos relevantes.

Ao compreender, de fato, o universo particular da persona, a organização é capaz de proporcionar as melhores experiências, que chegam aos níveis mais profundos do usuário. Isso gera mais confiança e fidelização no relacionamento dele com a marca.

Além disso, o cliente se torna um admirador do produto, marca ou serviço, e naturalmente o indica para outras pessoas, compartilhando suas boas experiências nas redes sociais, por exemplo, engajando nos conteúdos da empresa e contribuindo para um crescimento em massa no mercado.

Na Digital House, temos o curso de Experiência do Usuário (UX). Nele, o aluno aprende o processo de desenvolvimento como um todo, entendendo também as diferentes possibilidades de carreiras e especializações dentro da área.

Todos os alunos também podem participar do programa de apoio à recolocação (gratuito), além de feiras de recrutamento exclusivas (Recruiting Day). Inscreva-se e impulsione sua carreira agora mesmo!

7 tendências do design de experiência para os próximos anos

Até aqui, entendemos que o design de experiência pode ser o diferencial para o sucesso de uma empresa.

Sendo assim, é importante sempre estar atento às tendências da área, para adaptá-las ou incluí-las na realidade do seu negócio. Separamos as 7 principais para você. Confira:

Comando de voz

Nos últimos anos, com o desenvolvimento da tecnologia, aliada também à inteligência artificial, houve um aumento da popularidade dos assistentes virtuais, como as conhecidas Siri e Alexa, por exemplo.

Com isso, os softwares de comando e reconhecimento de voz estão se tornando cada vez mais presentes em outros tipos de dispositivos, para que as pessoas possam fazer as funções sem precisar dos dedos para digitar. Isso torna a experiência do usuário mais conveniente, rápida e eficaz no dia a dia.

Interfaces de usuário pessoal

Se você é usuário da Netflix, por exemplo, sabe como a interface personalizada faz toda a diferença na experiência com a plataforma, não é mesmo? Isso porque os algoritmos de inteligência coletam dados sobre tudo o que você veio assistindo, a fim de recomendar as melhores opções na próxima vez que acessar.

Isso é uma receita para o sucesso! Ao invés de tentar desenvolver uma interface que agrade todo mundo, por que não desenvolver uma que aprende e se adapta com cada usuário, personalizando a experiência?

Realidade Aumentada (AR)

O AR é uma tecnologia mais recente, mas algumas empresas já usam o recurso em seus aplicativos.

Por exemplo: em uma plataforma de uma marca de móveis, caso haja a ferramenta, ao invés do usuário ficar imaginando como um determinado sofá ficaria em sua casa, a empresa pode selecionar o móvel que o cliente deseja e fazer uma simulação instantânea em sua decoração. Isso, sem dúvida, é proporcionar a melhor experiência para o cliente.

Aplicativos multicanais

Nós usamos vários tipos de dispositivos, como desktops, smartphones, tablets, notebooks, entre outros. Ao invés de ter um aplicativo para cada uma dessas plataformas, por que não desenvolver um que funcione de maneira cruzada e híbrida em todos? Isso, com certeza, impacta na experiência do usuário, alcançando um público ainda maior no mercado.

Biometria e reconhecimento facial

No mundo digital, existem diversas ameaças que deixam as pessoas aflitas, principalmente se realizam suas transações financeiras de forma virtual. Com isso, a segurança se tornou um fator crucial no dia a dia, fazendo com que a autenticação biométrica e o reconhecimento facial sejam respostas para esses problemas.

Os recursos são utilizados para confirmar a identidade do usuário, antes de permitir acesso a informações confidenciais. Isso já pode ser visto em diversas plataformas, aplicativos e dispositivos.

Muito se ouve falar que, quando uma determinada página web demora mais de 3 segundos para carregar, ela já não agrada muito bem aos seus usuários.

Os sites precisam ser otimizados, a fim de ter um carregamento mais rápido, e sua navegação deve ser clara, objetiva e simples. Não precisa adicionar elementos visuais para preencher espaço, pense numa interface minimalista e, ao mesmo tempo, agradável, com as informações necessárias. Tudo isso é crucial para uma boa experiência do usuário.

Marketing de conteúdo

Todas as marcas e empresas precisam ter um conteúdo de qualidade em suas comunicações. Que tal usar técnicas de storytelling, a fim de convencer os usuários de que aquele é o melhor produto ou serviço que ele necessita?

Um ponto importante na construção de bons conteúdos assertivos é entender, de fato, quem é o seu público, além de se basear em dados sobre comportamento e preferências para saber onde e no que se concentrar.

Gostou deste conteúdo? Recomendamos também que leia sobre o que é um protótipo de baixa fidelidade e como desenvolvê-lo em um projeto.

Leia mais no blog DH:

+ Google Analytics Dashboard: crie e personalize com o nosso passo a passo

+ O que é brand equity e como as empresas geram valor de marca em seus produtos e serviços

+ Marketing digital para iniciantes: 10 dicas de como começar na carreira

E aí, já segue a gente no Twitter? Vem pra rede, vamos conversar sobre habilidades digitais! ;)