Como fazer um planejamento estratégico de marketing para 2021

Como fazer um planejamento estratégico de marketing para 2021

Quando se trata do marketing, é possível observar muita marca que prefere não investir em como fazer um planejamento estratégico e fica apenas no plano operacional, ignorando o seu próprio público, publicando conteúdo sem critérios ou subindo campanhas de mídia apenas com foco em vendas e lucro.

Um misto de mensagens que não conversam com as necessidades da audiência ou com a realidade do mercado. E pode ter certeza, isso é mais comum do que você pensa e pode custar muito caro!

E então, como fazer um planejamento estratégico?

Seja no caso de um negócio que esteja nascendo ou que já está na ativa há bastante tempo, todos precisam de um planejamento estratégico de marketing. Afinal, todos querem ter a segurança de que o investimento, tanto de recursos quanto de tempo, esteja sendo bem utilizado e trazendo benefícios, certo?

Por isso, convido você a parar um tempinho e refletir quanto a esses pontos essenciais que mostram como fazer um planejamento estratégico de uma empresa.

Quais são as etapas do planejamento estratégico?

Existem 6 etapas que acontecem do início ao final do seu planejamento estratégico, elas norteiam as ações, decisões e objetivos.

Vamos passar por cada uma delas para que você consiga colocar em prática de acordo com o seu negócio e segmento que atua!

Análise da concorrência

Antes de sair colocando a mão na massa, a jornada começa com a observação cuidadosa ao fazer uma análise de concorrência. É um jeito de conhecer o que as outras marcas estão fazendo, observar o que está dando certo e o que falhou, as oportunidades que estão “pipocando” e as ameaças que podemos nos preparar para evitar crises ou problemas.

Você pode achar suas forças nas fraquezas dos concorrentes

Imagine se, ao pesquisar sobre um concorrente em específico nas redes sociais, você encontre muitos elogios sobre a qualidade do produto mas também diversas queixas sobre a demora no atendimento via chat. Ao detectar isso, você poderia preparar sua equipe e os processos internos para fazer com que essa limitação da outra empresa se torne uma de suas fortalezas!

Proposta de valor: qual o seu diferencial?

Você pode ter um produto ou serviço que não é a coisa mais inovadora e inédita do mercado, mas a sua maior força deve estar em “como você oferece essa solução”.

Mostre o seu diferencial:

➜ O que sua marca tem a oferecer?

➜ O que a concorrência já faz mas você pode fazer ainda melhor?

Aqui é o momento em que saímos da teoria do que encontramos na análise anterior e partimos para a prática de olhar para dentro.

Liste todos os diferenciais de sua marca e os benefícios que seu produto ou serviço trará para as pessoas. Sim, lembre-se que o marketing é sobre pessoas!

Então, coloque-se no lugar do seu público e compreenda o que sua marca proporciona e como ela faz para melhorar a qualidade de vida da audiência.

O que os novos públicos estão buscando é fundamental

Não esqueça que valor também é sobre propósitos e crenças, e que marcas devem ir além de focar apenas em vendas.

Os Millennials já chegaram com a inquietude e vontade de fazer diferente do status quo, o que provocou algumas rupturas no mundo do marketing para conseguir conquistar a essa audiência, mas os Centennials - também chamada geração Z - são ainda mais politizados e engajados.

Os jovens compradores têm muito mais interesse no consumo de conteúdos sobre questões sociais, meio ambiente, igualdade de gênero e raça, política, etc. O famoso marketing de propósito!

É menos sobre preços, e mais sobre ter assuntos relevantes e mensagens coerentes. E a pandemia de Covid-19 escancarou isso ainda mais, mostrando que é com marcas humanas, verdadeiras e que pensam nas pessoas, que queremos nos conectar, não é mesmo?

Definição da persona

Muita gente pensa que público-alvo e persona são a mesma coisa, o que é um grande equívoco.

Quando você define seu público apenas com dados demográficos, você corre o risco de colocar pessoas muito diferentes em um balaio, atribuindo que todas são iguais. Definir uma persona é olhar além, é pensar em comportamentos, sentimentos, prioridades e interesses.

A diferença entre público-alvo e persona

Imagine que você determina que seu público alvo são mulheres solteiras de 25 a 35 anos, com graduação completa, que trabalhem em grandes empresas e tenham renda mensal entre 5 mil e 7 mil reais. Parece algo bastante específico, certo

Provavelmente há uma grande diferença de prioridades entre uma mulher solteira que more de aluguel e não tenha filhos e uma mãe solo que tenha casa própria.

Ou de uma mulher que decidiu juntar dinheiro para estudar inglês ou fazer uma pós-graduação e outra que nunca dispensa aquele happy hour pós expediente ou uma viagem com as amigas.

Ou uma torcedora fanática por seu time de futebol e outra que nem sabe qual campeonato é o mais importante da temporada. E por aí vai.

Analise toda a jornada dessas pessoas que interessam à sua marca, e não só sobre sua jornada de comportamento de compra, mas também seus possíveis sentimentos, desejos, prioridades, temas que se interessa, redes sociais e blogs que mais acessa para lazer, etc. Essa parte será indispensável para a próxima etapa do nosso plano!

Definir canais

Será que preciso estar no TikTok? Vale a pena criar um blog? Pessoas ainda usam Facebook? Se o concorrente usa todas as redes sociais e faz 57 posts por dia, minha marca deveria fazer isso também?

Aqui é o momento em que fazemos um mantra com aquela clássica frase que toda criança já ouviu: “... mas você não é todo mundo!”.

A melhor maneira de responder a todas essas perguntas está em analisar o comportamento da nossa própria audiência!

Ao invés de gastar energia (e verba!) produzindo um chatbot ultra moderno, entenda antes se seu público não fica frustrado ao não ter o contato humano no atendimento virtual e, com isso, não conseguir explicar com clareza o que necessita.

Ao invés de criar um perfil nas redes sociais de vídeos curtinhos e divertidíssimos, observe se, na verdade, as pessoas que se relacionam com sua marca não preferem um e-mail marketing semanal com textos mais profundos sobre um determinado tema.

Dito isso, não existe uma maneira correta de como fazer um planejamento estratégico, mas sim de definir canais que façam sentido tanto para sua marca quanto para seu público. Isso vale para redes sociais, blog, whatsapp.

E também lembre-se de determinar uma frequência de publicação, temos que vai abordar em cada canal e o tempo mínimo de resposta para os casos de atendimento a cliente.

Determinar Metas e Indicadores

Já dizia o Gato Cheshire, de Alice no País das Maravilhas: “Se você não sabe para onde ir, qualquer caminho serve”. No marketing, não tem como saber se uma estratégia está funcionando se não sabemos o que é um indicador de sucesso do trabalho.

É preciso determinar alguns indicadores-chave de desempenho, conhecidos como KPIs.

O objetivo de um KPI é ajudar a tomar melhores decisões sobre um processo, projeto, estratégia ou campanha e, dessa forma, ser capaz de definir uma futura linha de ação.

Existem inúmeros indicadores, principalmente no mundo do marketing digital, e justamente por isso devemos apontar quais fazem mais sentido para o momento e quais são secundários.

Como criar objetivos SMART

Um bom jeito de direcionar os esforços estratégicos e fazer com que esses KPIs sejam efetivos é criando objetivos SMART.

Esse acrônimo forma uma palavra que, em inglês, significa “inteligente”, justamente o que esperamos dessa definição de objetivos. Cada letra dessa sigla leva às seguintes características:

➜ S (specific) de Específico;

➜ M (measurable) de Mensurável;

➜ A (attainable) de Alcançável;

➜ R (relevant) de Relevante;

➜ T (timeable) de Temporizável.

De maneira prática, um objetivo de “reduzir o tempo de resposta para clientes” é algo indefinido, mas “reduzir o tempo de respostas via chat para clientes de 24 horas para 12 horas” até um objetivo SMART.

Pensar em objetivos SMART ajuda também a reconhecer o quanto de esforço é possível fazer, de acordo com a realidade de cada empresa.

Ou seja, não dá para criar metas quase impossíveis, que exijam de você e de sua equipe um esforço muito maior do que é possível fazer dentro das horas de trabalho contratadas, ocasionando tensão, alto estresse, desenvolvimento de quadros de depressão ou até mesmo de burnouts.

A saúde mental sua e das demais pessoas que atuam com você deve vir em primeiro lugar.

De todos os modos, definir metas faz com que nossos esforços tenham sentido, pois assim focamos as ações para o que buscamos alcançar. Isso é até um estímulo ao nosso cérebro, para que ele se mantenha motivado e determinado a alçar voos cada vez mais altos!

Acompanhamento e Mensuração dos Resultados

Muito conectado com o ponto anterior, acompanhar e mensurar os resultados de marketing deve ser uma constante e não ficar só no planejamento.

Durante a execução do projeto, observe o desempenho, pois sempre tem a possibilidade de surgir surpresas, sejam boas ou ruins!

➜ Faça uso de ferramentas como Google Analytics para verificar os resultados do seu site;

➜ Observe se os conteúdos que geram mais engajamento nos seus canais são vídeos ou imagens estáticas;

➜ Investigue as estatísticas que praticamente todas as redes sociais oferecem, a respeito de audiência, engajamento, dados demográficos;

➜ Questione-se constantemente o que esses dados todos significam para sua estratégia.

Entretanto, olhar deve ir além dos resultados quantitativos, e agregar informações qualitativas. Ler os comentários nos posts, perguntar à audiência o que ela está achando do desempenho do seu produto, se ela tem interesse em algum tema ainda não abordado nos conteúdos, monitorar conversas sobre sua marca em espaços fora das suas redes, etc.

É nesse momento que novas oportunidades surgem e que gargalos são identificados!

Você aprende como fazer um planejamento estratégico...na prática!

Podem surgir inúmeros gurus prometendo guias infalíveis para sua campanha ser um grande sucesso, mas a verdade é que a fórmula secreta do êxito de como fazer um planejamento estratégio de marketing não existe assim, de maneira tão fácil.

A fórmula mágica não existe

É um trabalho duro, que exige paciência, dedicação, humildade para ouvir e reconhecer erros, redesenhar ciclos e fazer a roda girar constantemente. Assim como celebrar as pequenas e grandes vitórias, claro!

Como em qualquer esfera de nossas vidas, temos erros e acertos constantemente, mas não podemos nos frustrar ou desistir se as coisas não estão saindo como desejado.

O grande segredo, talvez, é reconhecer que não se faz marketing sozinho ou sozinha. É preciso dialogar, trocar ideias e entender o cenário externo, ouvir o que sua equipe de trabalho está querendo dizer, contar com o retorno da audiência e caminhar junto, olhando através dos dados disponíveis e encontrando os insights escondidos.

Ah! E o benefício precisa ir além do lucro pelo lucro e fazer o bem às pessoas, o que inclui aí você também :)

Para se aprofundar no mundo digital, procure um curso de marketing digital atualizado, como o da Digital House, assim você aprende na prática sobre planejamento e outros pilares estratégicos dentro do marketing.

Leia mais no blog DH:

+ Aprenda como fazer o branding de uma marca de sucesso em 3 etapas

+ Customer Centric: como moldar sua estratégia com foco no cliente

+ Como gerar leads: estratégias de marketing para ter uma base qualificada

E aí, já segue a gente no Twitter? Vem pra rede, vamos conversar sobre habilidades digitais! ;)