O que é e como desenvolver a inteligência emocional?

O que é e como desenvolver a inteligência emocional?

Das skills necessárias para a liderança digital, tenha certeza que será preciso aprender como desenvolver a inteligência emocional. Esta é sem dúvida uma das mais difíceis de dominar no mundo complexo que vivemos, porém, necessária.

Como desenvolver a inteligência emocional?

A Inteligência Emocional é a capacidade de identificar e lidar com as emoções, tanto as suas próprias quanto as de outras pessoas.

Existem diversos estudos que dividem a nossa inteligência em diferentes tipo (espacial, linguística, matemática, musical, etc.) a Inteligência Emocional está ligada a dois tipos:

Inteligência Interpessoal: inclui nossas habilidades para "ler" outras pessoas, comportamento em sociedade e empatia.

Inteligência Intrapessoal: representa nossa capacidade de nos entender e controlar internamente.

Quais são os pilares da inteligência emocional?

1. Perceber as emoções - Identificar os sentimentos através de estímulos diversos como mudanças na voz, nas expressões ou na postura corporal.

2. Usar as emoções - Considerar no seu raciocínio mental o estado emocional das pessoas envolvidas e avaliar como usar isso nas ações e soluções dali em diante.

3. Entender as emoções - Perceber as variações emocionais ao seu redor, desde a percepção, durante e após o uso das emoções em suas ações

4. Gerenciar as emoções - Saber lidar com essas emoções para que elas não atrapalhem seus objetivos e não tragam problemas posteriores em função de algo que não foi resolvido.

Se você conseguir passar por esses estágios, certamente estará um passo à frente de como desenvolver a inteligência emocional.

Como colocar em prática?

Conhecer seus próprios sentimentos e emoções e tirar o melhor do que eles podem oferecer é essencial para aplicar a inteligência emocional na prática. Dessa forma, estando consciente e compreendendo a si mesmo, a inteligência emocional permite uma melhora nos relacionamentos na vida pessoal e no trabalho. Entenda como aplicar na prática esta skill que se tornou ainda mais essencial nos dias de hoje:

Autoconsciência

Saber quais são os seus pontos fortes e fracos é um dos primeiros pontos para saber lidar com suas próprias emoções.

Para desenvolver essa consciência é necessário muita observação e feedback.

- Como os acontecimentos diários afetam suas emoções?

- Como você reage a diferentes tipos de interações com outras pessoas?

- Que sentimentos você consegue identificar nessas reações?

- Quais as razões para reações que você ou os outros consideram inadequadas?

Alguns dos sentimentos mais comuns incluem mas não se limitam a: admiração, adoração, apreciação estética, diversão, raiva, ansiedade, temor, constrangimento, tédio, calma, confusão, desejo, nojo, dor empática, êxtase, excitação, medo, horror, interesse, alegria, nostalgia, alívio, romance, tristeza, satisfação, desejo sexual e surpresa.

Entender a diferença entre esses sentimentos é uma forma de fazer uma análise mais detalhada do que você está sentindo e encontrar os gatilhos que disparam esse sentimento.

Vulnerabilidade

Uma vez que você reconhece suas fraquezas, expor essas fraquezas ajuda as pessoas ao seu redor a lidar melhor com os seus sentimentos.

A vulnerabilidade também gera admiração por parte de outras pessoas, principalmente por conta da coragem em se expor.

Muitas vezes quando você admite uma fraqueza para um grupo, isso não surpreende ninguém, é bem possível que elas já tenham enxergado aquele problema em você mas não tinham abertura para falar disso.

Uma equipe onde todos têm consciência dos pontos fortes e fracos de cada um, gera uma maior honestidade e cumplicidade no relacionamento. Torna-se mais fácil identificar comportamentos inadequados (gatilhos que fazem mal para alguém do grupo) e minimizar o impacto decorrente de problemas emocionais.

Empatia

Empatia é analisar a trajetória e realidade de outra pessoa, pensar a partir da perspectiva dela e então sentir o que ela sente. E muito mais do que se "colocar no lugar do outro", é deixar de pensar do seu ponto de vista por um instante e compreender o ponto de vista do outro.

Compreender o que o outro sente, pensa e acredita, não significa automaticamente concordar com essa pessoa. Inclusive o entendimento profundo do outro ajuda a lidar com as diferenças e eventualmente contorná-las para gerar uma colaboração.

Empatia é uma palavra que foi muito esvaziada e mal interpretada, muitas vezes interpretamos o que sentimos ao olhar o outro e assumimos que o outro se sente da mesma maneira. Nesses casos agimos com piedade ou indiferença sem necessariamente ter entendido o que o outro está vivenciando.

Perguntar, ouvir com atenção, conversar. Conhecer outras realidades, estudar outras culturas. Não é fácil ter empatia sem compreensão do mundo do outro. Por isso requer treino e pesquisa.

Controle Emocional

Uma vez que você conhece suas fraquezas e seus gatilhos, precisa desenvolver técnicas para não explodir no trabalho, ou deixar uma brincadeira de mau gosto atrapalhar a apresentação do seu projeto.

Existem diversas técnicas de controle emocional, você precisa testar e ver o que funciona para você.

Com essa coleção de ferramentas organizada é preciso criar o hábito de utilizá-las nos momentos necessários.

Algumas técnicas:

- Exercícios respiratórios

- Meditação

- Caminhada

- Atividades físicas

- Mindfulness

O mito da resiliência

Se você já pesquisou sobre inteligência emocional em algum momento, talvez já tenha ouvido falar que você precisa ser resiliente.

Resiliência na natureza é quando um material volta a sua forma original após ser submetido a alguma deformação.

Somos treinados a mantermos nossa "forma" mesmo mediante a abusos e pressões psicológicas de qualquer tipo. O resultado disso, em geral, é o burnout.

Minha recomendação é: seja adaptável, e não resiliente.

O mundo muda constantemente e mesmo se preparando você vai sofrer com essas transformações. Talvez sua forma original não seja ideal para lidar com as situações do dia a dia, você vai precisar se transformar, se adaptar ao ambiente. Isso é bem mais útil e poderoso do que ser resiliente.

A melhor maneira de lidar com suas emoções é senti-las e trabalhá-las, de preferência com o auxílio de um terapeuta. Muitas pessoas têm preconceito com psicoterapia, por pensar que se trata de tratar malucos. Todos nós podemos desenvolver nossa inteligência emocional mais rapidamente usando a terapia como ferramenta.

Ser indiferente ao que acontece à sua volta, estar sempre com o mesmo humor, estar sempre bem, é impossível. E quem insiste nisso provavelmente está te tratando com positividade tóxica.

Seja livre para viver todos os seus sentimentos e aprenda como desenvolver a inteligência emocional, assim você evita que emoções atrapalhem a sua vida e a vida de outras pessoas.


Leia mais no blog DH:

+ Como é o dia a dia de um analista de dados?

+ Como escolher um curso de UX Design?

+ Descubra como iniciar sua carreira em programação

E aí, já segue a gente no Twitter? Vem pra rede, vamos conversar sobre habilidades digitais! ;)