Como criar um design responsivo para oferecer a tão esperada navegação amigável

Como criar um design responsivo para oferecer a tão esperada navegação amigável

Se você deseja vender mais e obter maior visibilidade de marca, terá que oferecer uma boa experiência ao seu usuário, esteja aonde ele estiver. Ou seja, precisa ter um site responsivo. Justamente aí que o UX Design ganha seu protagonismo.

No mais recente estudo do Google, “O mundo nunca será o mesmo”, foram projetados os impactos da pandemia no comportamento, consumo, trabalho, finanças e economia, trazendo uma mensagem objetiva: tudo agora se torna virtual e essa realidade desenha novos modelos de interação.

Segundo ele, as buscas como “velocidade de internet” são altíssimas atualmente. Olha as necessidades do home office aparecendo!

+ Precisa de ajuda no home office? Conheça algumas ferramentas para melhorar sua rotina de trabalho em casa

Para o mundo pós-pandemia, o estudo de nome emblemático também prevê que o comportamento dos usuário ficará muito mais exigente (ainda!) quanto à rapidez e eficiência na resposta das empresas e seus canais online, incluindo atendimento. Ou seja, fique de olho no UX.

Vem com a gente neste artigo e entenda como criar um design responsivo, focado em user experience.

UX Design, o dono do design responsivo

Antes de mais nada, vamos relembrar o que é um design responsivo: um conjunto de técnicas que garante um site acessível a qualquer tipo de dispositivo, seja ele desktop ou móvel.

Essa aplicação no código envolve HTML, CSS e algum framework, como o Bootstrap. Com essa técnica, seu site se ajusta de acordo com o tamanho da tela do usuário.

O próprio Google, o cara que assina o estudo citado, recomenda esse tipo de design responsivo como uma forma de otimizar a experiência do usuário, para evitar duplicações de conteúdo e obter imagem consistente.

Agora, voltando o foco para a parte que vai além da técnica, temos os seguintes desafios:

➜ Atingir o mesmo grau de satisfação do cliente, tanto por dispositivos móveis quanto desktops;

➜ Que toda a jornada do usuário no site seja estratégica, simples e encantadora.

Os profissionais certos para esta missão são das áreas de UX/UI, pois, com sua skill, pensa nas funcionalidades e maneiras de capacitar e gerar um caminho interessante a quem acessar aquele site, por ambas as vias, e não apenas pela ótica da adaptação dos tamanhos das telas, imagens ou da otimização do menu.

Dicas de como criar um design responsivo que funciona

Nosso professor, especialista em Marketing Digital e UX da Digital House, Renato Gondra, elenca três pontos essenciais na criação de designs responsivos. São eles:

Busque referências

O famoso benchmark é importante. Ou seja, olhar o que marcas bem conceituadas fazem é uma inspiração a ser seguida. Veja o site no desktop e depois no smartphone. Analise e compare as diferenças.

“Também vale olhar os guias de design system do Android e do Apple IOS. Alguns dos componentes dos apps podem ser aproveitados em sites responsivos”, finaliza.

Pense Mobile First

Hoje mais de 70% do tráfego da internet é feito através de smartphones. Então, prefira começar desenhando seu produto digital para smartphones. Assim, você inicia já com foco na simplicidade e fica mais fácil transformar num site para desktop.

“Mas lembre-se: é papel do designer desenhar pelo menos essas duas versões de tela”, ressalta Gondra.

+ Dados comprovam: existe a mudança do Mobile First para Mobile Only

Componentes (Assets) que podem ser adaptados

Durante o design, você poderá apontar particularidades em cada tipo de dispositivo.

Alguns elementos podem se comportar de maneira diferente em telas menores. Então, é importante ficar atento a isso.

“Uma tabela que funciona superbem em desktop pode não promover uma boa experiência em smartphones. Nesse caso, você pode trocar por um card expansível, por exemplo”, completa.

Além disso, no momento do desenvolvimento, continue a estudar essas interações. E, após ele, o trabalho não para. Faça testes de usabilidade e brainstorm com sua equipe. Pois, em meses, tudo não só pode mudar completamente do mundo que conhecemos, como já mudou.

Como criar uma navegação amigável

1 - Atenção para a velocidade de carregamento

Fique atento à velocidade de carregamento do site - se demorar muito, seu cliente pode não estar tão engajado na sua marca para esperar. Além disso, esta falha pode remeter a uma característica da própria empresa.

2 - Menos efeitos pode ser uma boa

Os efeitos podem até ser atrativos, mas se seu uso for em telas maiores. Pelo acesso em dispositivos móveis ou tablets, pode ocorrer o contrário. Sendo assim, teste este atrativo nos dois canais e observe se passa a mesma mensagem, antes de aderir.

3 - Utilize imagens flexíveis

Imagens pesadas e estáticas podem ser interpretadas como ultrapassadas. Em um site adaptável, se usa imagens leves, que possam ser carregadas em qualquer dispositivo, pois se adaptam a diferentes tamanhos de dispositivos, ou seja, medidas fluidas

4 - Textos legíveis

Dispositivos móveis têm telas menores e precisam de legibilidade para o usuário. Então, recomendável colocar os textos que evitem precisar de zoom toda hora.

Se transforme em um profissional do UX Design

Fazer um design responsivo é uma tarefa robusta e que ultrapassa técnica e programação, já que coloca a perspectiva do usuário como a espinha dorsal de qualquer fluxo de experiência, sendo um exercício de concentração, observação e ação. Tudo junto e misturado.

Com a habilidade digital de  UX design aprendida e bem desenvolvida, você poderá fazer um design responsivo que capte audiência, conversões e, o mais importante, tenha sucesso na interação do usuário, tornando ela mais agradável, simplificada e útil. Este feito traz não só vendas como resultado, mas fidelização.

Na Digital House, você pode se tornar este facilitador e promotor de satisfação. Conheça nosso curso de UX Design e se especialize nesta profissão.