Conhece as boas práticas de usabilidade? 5 dicas para criar a melhor experiência para o usuário

Conhece as boas práticas de usabilidade? 5 dicas para criar a melhor experiência para o usuário

Boas práticas de usabilidade tornam possível um bom planejamento dos recursos de um site ou aplicativo que não apenas atraia usuários novos, mas faça com que a experiência de encanto deles seja prolongada e aperfeiçoada.

Tanto a facilidade de utilização do serviço quanto com a experiência das pessoas são processos pertinentes à UX (experiência de usuário), onde os profissionais de design focam em obter uma percepção positiva sobre os elementos e a marca, de modo geral.

Neste artigo, explicamos como as boas práticas de usabilidade design otimizam interfaces e geram uma performance diferenciada, ou seja, fazem seu site se diferenciar e conquistar clientes.

Boas práticas de usabilidade e exemplos

Vamos a uma breve introdução a boas práticas de usabilidade em UX Design. Inicialmente, o UX designer é o profissional responsável pela interface da plataforma digital, assim como determinados processos de UX.

Para isso, ele trabalha com um conjunto de elementos e fatores relativos à interação do usuário com um determinado produto, sistema ou serviço. E para que essa interação seja interessante para ambas as partes, as regras de usabilidade servem de “ponte”.

Ou seja, dão aquela mãozinha na conversão da venda, ajudando na fidelização do usuário, deixando-o mais satisfeito nesta jornada.

Não é à toa que esse profissional é tão requisitado no mercado de trabalho, já que impacta diretamente no sucesso do negócio.

Usabilidade: exemplos

Agora, vamos aos exemplos de UX Design, usando a estratégia de planejamento em usabilidade no dia a dia. Esperamos que estas dicas te ajudem nas reuniões com o time e demais áreas deste processo, trazendo resultados de performance.

Mobile First - acessibilidade em primeiro lugar

Elementos de design são importantes. Acessibilidade é fundamental. Lembre-se de que as conexões atuais estão sem limites, ou seja, as pessoas acessam informações, compram e se comunicam de onde estiverem, por seus celulares.

Portanto, a dica é pensar digital first, oferecendo um design responsivo e que se adapte a qualquer tamanho de tela, considerando o uso de cores que facilitem a visualização e tipografias com as dimensões certas.

Dentro dos processos de UX Design, desenhar um protótipo em um papel é um bom começo para colocar em ação boas práticas de usabilidade de um aplicativo ou site, sempre sob a perspectiva de um mindset ágil, pertinente à Era Digital/mobile first.

Sem medo de testar atributos de usabilidade

Por falar em protótipo, testar a usabilidade de um projeto é um dos processos base na área de UX Design, e ajudam a validar suas ideias.

Como todos os planejamentos mais bem feitos também são passíveis de erro, a dica é estar preparado para resolvê-los.

Os testes A/B são uma boa escolha neste sentido, com duas versões do que você precisa testar e, a partir daí, medir qual delas tem uma taxa de conversão maior, direcionando seu melhor call to action, imagens, título, etc.

Considere nesses testes os aspectos de desenvolvimento front-end (programação que fica visível ao usuário), com destaque às mudanças que devem ser feitas em tempo real.

Cuide da estética e hierarquia para simplificar a navegação

Sobre as características visuais, e pensando em boas práticas de usabilidade, a estética precisa ser levada em conta, desde que seja consistente para a melhora do desempenho. Uma interface bonita, mas não funcional, tem pouca serventia e seu usuário sabe disso.

A dica é criar um padrão para que todos possam se sentir “em casa” na plataforma. Por exemplo, com conjuntos e elementos que sejam claros, práticos e intuitivos. O mesmo serve para identidade visual das cores deste site.

Esta parte envolve o UI Design (Design de Interface) em uma parceria durante todo o projeto. Una características de forma que todos conversem com a identidade visual da sua interface e, a partir daí, planeje sua hierarquização, sempre tendo como norte a simplicidade.

Otimize a compreensão

Faça com que a interface criada conduza as pessoas à realização de tarefas de um jeito mais prático. Facilite a vida delas ao máximo.

Campos visíveis para a busca, que não exijam mais que a digitação do nome do produto desejado, já são descomplicadores de busca, sabia? Se coloque na pele do usuário.

Além disso, ofereça informações simples e concisas. Idealmente, um aprendizado de usabilidade na interface precisa ser natural e permitir que as pessoas explorem as ferramentas em outras oportunidades, voltando familiarizadas, seguras e satisfeitas.

De olho na performance

Outra coisa que você e eu gostamos, enquanto usuários, é a rapidez de carregamento de sites, não é mesmo?

E isso é fato. Segundo a pesquisa da Econsultancy, 88% dos usuários que tiveram uma experiência ruim ao acessar um site por conta da velocidade de carregamento, ficaram menos propensos a comprar nele. Além disso, mais de um terço deles vai compartilhar a experiência ruim com os amigos.

Para que seu site ou app não sejam alvos dessas represálias, uma dica legal é sempre carregar os elementos mais leves do site primeiro, em vez de exibir uma tela em branco.

Os testes de velocidade do site também são muito bem-vindos. A Google Page Speed é uma ferramenta que pode ajudar nesta avaliação.

Aplicação de boas práticas de usabilidade = use e abuse da simplicidade e empatia

Quando o assunto são boas práticas de usabilidade, a máxima é: simplifique a experiência da sua plataforma, sem abrir mão da estética e da qualidade. Fácil, não é. Mas, com direcionamento certo, empatia e empenho, você consegue.

E por falar em boas práticas de user experience design e direcionamento com clareza, a Digital House possui conteúdos sobre UX que vão te ajudar a enfrentar os desafios cotidianos diante do usuário, além do curso de User Experience ministrado por profissionais de mercado.

Leia mais no blog DH:

+ Como começar em UX Design

+ Etnografia no UX: como entender a relação do consumidor com produtos e serviços

+ Vantagens em contratar um UX Designer Júnior

E aí, já segue a gente no Twitter? Vem pra rede, vamos conversar sobre habilidades digitais! ;)