Análise de dados de uma pesquisa qualitativa: por onde começar? quais ferramentas usar?

Análise de dados de uma pesquisa qualitativa: por onde começar? quais ferramentas usar?

A análise de dados de uma pesquisa qualitativa tem como base métodos de coleta focados na comunicação, que busca soluções para pessoas e sociedade.

E já faz tempo que fazer pesquisa transcende o meio acadêmico, tomando um lugar prioritário no planejamento estratégico das empresas, principalmente na área de negócios. Ainda mais na Era Digital, com dados a preço de ouro.

É justamente nesse cenário que a pesquisa qualitativa ajuda empresas a compreender fenômenos mais subjetivos, ou seja, o comportamento de seus clientes, se aproximando de suas experiências individuais, anseios e desejos.

Por essa razão, ela é descritiva, diferente da pesquisa quantitativa, que é numérica. Neste artigo, você vai compreender como analisar uma pesquisa qualitativa.

Como fazer a análise de dados de uma pesquisa qualitativa

A pesquisa qualitativa é uma grande aliada da equipe de marketing, que, por meio da análise de dados, identifica com mais clareza as necessidades de seu público, direcionando o planejamento estratégico na direção certa.

Pesquisas qualitativas individuais

Esse é um dos métodos de pesquisa qualitativa e pode ser realizado por meio de entrevistas individuais, por exemplo, e geralmente, com uma amostra pequena e entrevistados estimulados a se sentirem à vontade, respondendo com transparência suas opiniões.

Tudo isso para compreender o porquê de determinados comportamentos, interpretando tendências e agindo na identificação de hipóteses para um problema, entendendo percepções e expectativas dos consumidores.

Grupos focais

Outro meio de obter estes dados é pelos grupos focais. Na prática, são pessoas que discutem determinado assunto ou tema, permitindo ao pesquisador acompanhar pontos de vistas diversos dos participantes sobre o objeto de estudo.

O debate é quase um brainstorm e uma forma interessante de coletar dados. Individual, em grupo, dupla ou tríade, o método pode variar de acordo com a necessidade, tendo perguntas estruturadas, semi-estruturadas, por telefone ou por escrito.

Nesse cenário, a etnografia e a observação participante são duas opções de direcionamento da coleta de dados.

Pesquisa qualitativa: características

Na primeira, há uma observação do consumidor no seu ambiente natural e constitui-se de uma análise do modo de vida de um grupo de indivíduos de características comuns. Com essa observação, é possível ter insights importantes sobre suas crenças, valores, motivações, perspectivas e como isso pode variar em diferentes momentos.

Na segunda, o pesquisador interage com os participantes, buscando mudanças nesses grupos para melhorar suas condições de vida, combinando a forma de interrelacionar a pesquisa e as ações em um determinado campo, selecionado pelo pesquisador.

Há também a pesquisa-ação, método semelhante com à pesquisa participativa, relacionada à transformação social. Seu objetivo é construir uma teoria que seja efetiva em Ciência e às mudanças nas condições de vida.

Ferramentas e softwares: como analisar dados qualitativos

Quando se trata da escolha de uso de um software para apoio à análise de dados, deve-se levar em conta todos os aspectos metodológicos de investigação qualitativa, com o pesquisador atendendo critérios específicos do software escolhido.

Os Computer Assisted Qualitative Data Analysis Software (CAQDAS) são softwares de análise de dados qualitativos que permitem a inserção de arquivos de dados, em diversos formatos, facilitando na codificação do material, sobretudo daqueles resultantes de grande volume textual.

Entre esses softwares, podemos citar como exemplo o MAXQDA, uma ferramenta CAQDAS. Seus elementos centrais são a associação sistemática (“categorização” ou “codificação”) de segmentos de textos a certos temas (“categorias” ou “códigos”) além da possibilidade de escrever anotações (“memos”) e fixá-las em qualquer parte do seu projeto de pesquisa.

Porém, por mais que estes softwares sejam reconhecidos pela produção de elementos gráficos, com a possibilidade de se realizar análises multivariadas, o processo central continua nas mãos do pesquisador.

O que isso quer dizer? Que o profissional de dados é o protagonista deste tipo de análise, tão importante ao mundo dos negócios.

Na Digital House, temos o curso de Data Analytics, onde o aluno aprende a dominar modelos diversos de análise, do conceito a prática. Seja você também um especialista da área!

Leia mais no blog DH:

+ Dados abertos: como usar dados públicos para gerar estratégias de negócios

+ Power BI para leigos: aprenda os primeiros passos

+ Resumo LGPD: tudo o que uma empresa precisa saber sobre a nova lei

E aí, já segue a gente no Twitter? Vem pra rede, vamos conversar sobre habilidades digitais! ;)